Tuesday, March 17, 2020

O padre jesuíta que se considera um “maçom sem avental”.

Bruno Braga.
Nota publicada no Facebook.

Na última segunda-feira, 09 de março, o Grande Oriente do Brasil, o Grande Oriente do Distrito Federal e a Confederação da Maçonaria Simbólica do Brasil (CMSB) promoveram em Brasília uma palestra com José A. Ferrer Benimeli. Tema: “Igreja Católica X Maçonaria” (cf. imagem) [1].
Benimeli é apresentado como “sacerdote da Sociedade de Jesus”, i.e., um jesuíta. Trata-se de um conhecido defensor da seita da Maçonaria, e que mesmo sendo padre afronta o que determina a Santa Igreja Católica: "Permanece portanto IMUTÁVEL o parecer NEGATIVO da IGREJA a respeito das ASSOCIAÇÕES MAÇÔNICAS, pois os seus PRINCÍPIOS foram SEMPRE considerados INCONCILIÁVEIS COM A DOUTRINA DA IGREJA e por isso permanece PROIBIDA A INSCRIÇÃO NELAS. Os FIÉIS que PERTENCEM às ASSOCIAÇÕES MAÇÔNICAS estão em estado de PECADO GRAVE e NÃO PODEM APROXIMAR-SE DA SAGRADA COMUNHÃO" – com uma observação importante para o ousado padre Benimeli: “Não compete às autoridades eclesiásticas locais pronunciarem-se sobre a natureza das associações maçónicas com um juízo que implique derrogação de quanto foi acima estabelecido” [2].
Benimeli, observam os promotores do evento, “é membro de inúmeras instituições relacionado [sic] à história e principalmente à Maçonaria, e dirige o Centro de Estudos Históricos da Maçonaria Espanhola” (cf. imagem).
Na abertura da palestra, o Grão-mestre Geral do Grande Oriente do Brasil, Múcio Bonifácio Guimarães, observou que o padre jesuíta não é maçom de “direito” ou de “fato”, mas tornou-se um “maçom honorário”.
Realmente, a palestra de Benimeli foi um esforço para legitimar a Maçonaria, sobretudo forçando a associação entre Deus e G.A.D.U. – um “Grande Arquiteto do Universo” - com uma série de referências [3], escondendo as tramas, golpes, confiscos, perseguições, a série de crimes e mortes promovidas pela seita contra a Santa Igreja.
Benimeli, contudo, deixou à mostra a colaboração histórica da Maçonaria com o Socialismo e o Comunismo, como já havia alertado o Papa Leão XIII, na Encíclica “Humanum genus”: "Sim, esta mudança, esta subversão, é planeada deliberadamente e apresentada por muitas associações de COMUNISTAS e SOCIALISTAS; E A ESTAS MANOBRAS A SEITA DOS MAÇONS NÃO É HOSTIL, MAS, PELO CONTRÁRIO, FAVORECE MUITO OS SEUS DESÍGNIOS, E PARTILHA COM ELAS AS SUAS OPINIÕES PRINCIPAIS".
Benimeli concluiu a palestra com agradecimentos, recordando o seu trabalho sobre a Maçonaria: “tenho mais de 60 anos de ‘maçom sem avental’” [4]. Múcio Bonifácio Guimarães encerrou a noite com uma consideração significativa: “Nós agradecemos a presença de todos” [...] “eu ressalto aqui que vi o primeiro comentário postado na transmissão direta, foi do secretário geral de orientação ritualística, foi de Pedro JuK, ai ele se referindo ao padre Benimeli, fez as referências de que ele é verdadeiramente pertencente a uma corrente realística da Maçonaria, da Maçonaria pura nos seus conceitos, então, com essa menção” [...] “nós estamos encerrando, desejamos uma boa noite a todos” [...].

Cabe observar que a palestra de José A. Ferrer Benimeli fez parte da Vigésima Quinta Assembleia Geral da Conferência Maçônica Interamericana (CMI), que reuniu em Brasília líderes da Maçonaria Regular Mundial. O que é mais uma amostra, entre tantas outras, da articulação maçônica que existe há anos por meio de organizações internacionais, e que continua investindo na absurda compatibilidade entre a seita da Maçonaria e a Santa Igreja Católica, tendo a colaboração até mesmo de “padres” escandalosamente infiéis à Esposa de Cristo.

REFERÊNCIAS.
[2]. cf. Congregação para a Doutrina da Fé. “Declaração sobre a Maçonaria” [http://www.vatican.va/roman_curia/congregations/cfaith/documents/rc_con_cfaith_doc_19831126_declaration-masonic_po.html].
[4]. Idem. Tempo [-5:07].

No comments: