Tuesday, May 02, 2017

COMENTÁRIO.

Bruno Braga.


No último fim de semana, o site "Barbacena online" publicou o artigo "Manipulações midiáticas sobre a greve geral", redigido por Francisco Fernandes Ladeira e Vicente de Paula Leão [1]. No texto, os autores denunciam a "imprensa hegemônica brasileira" por "distorcer a realidade" na cobertura da paralisação do dia 28 de abril.

Sim, a imprensa é sim capaz de manipular as informações que oferecem ao público. Contudo, os motivos que fundamentam a denúncia de Francisco e Vicente não têm nenhuma base de sustentação.

Os articulistas alegam que a "grande mídia" apresentou as manifestações como se elas não tivessem "causa", destacando apenas as "consequências", ou seja, os "transtornos", os "engarrafamentos quilométricos", a "violência dos grevistas", a quebradeira que eles promoveram e os danos ao patrimônio público. Ora, de qual "grande mídia" Francisco e Vicente estão falando? Porque qualquer pessoa que tenha assistido a um noticiário ou mesmo a um breve boletim de notícias pôde constatar que os veículos de informação divulgaram sim as supostas "causas" do protesto: as reformas trabalhista e previdenciária propostas pelo governo de Michel Temer. Sobre as "consequências" destacadas pelos articulistas, não há como negar que elas tiveram mesmo como "causa" a "greve geral" - não foi uma "distorção da realidade" promovida pela "grande mídia", foi a mais pura realidade. A propósito. O telespectador mais desavisado já deve estar se perguntando: por que será que as quebradeiras, os mascarados e black bloc's só aparecem em manifestações promovidas por determinados agentes e grupos?

Francisco e Vicente afirmam que a "imprensa hegemônica" destacou as bandeiras vermelhas para alimentar o "medo" e associar a greve aos "comunistas / petistas". Ora, mas foram eles mesmos que organizaram e convocaram o protesto através da sua rede de sindicatos e ditos "movimentos sociais", tendo à frente a CUT - central sindical que, não é segredo para ninguém, é um braço do PT.

Muito bem. Os motivos que Francisco e Vicente levantam para denunciar a imprensa não se sustentam. Para utilizar um termo dos articulistas: eles não têm base na "realidade". Mas, para concluir, é pertinente perguntar, diante de um texto infundado que acusa a "grande mídia" de distorcer a realidade para favorecer "um determinado viés ideológico", se não é esse mesmo o caso dos autores do artigo. O vocabulário que eles utilizam já dão uma pista e instauram a suspeita. Uma imagem basta para indicar o "viés ideológico"  que orienta a sua escrita: Francisco Fernandes Ladeira utiliza um jornal comunista para se manifestar a favor de Lula e contra o tal "golpe" (Cf. imagem).

É a delinquência intelectual na imprensa barbacenense.

(*) Para mais comentários sobre as "posições" de Francisco Fernandes Ladeira, acesse: [http://b-braga.blogspot.com.br/p/comentarios.html].


REFERÊNCIAS.

No comments: