Monday, March 25, 2019

Marielle e Jesus?

Bruno Braga.
Notas publicadas no Facebook.


I.

"Padre" Eliomar Ribeiro compara Marielle Franco a Jesus Cristo. O Filho de Deus morreu por uma "causa", assim como a vereadora comunista - que defendia a "causa" do aborto, do assassinato em massa de crianças inocentes, a "causa" da ideologia de gênero LGBT-gayzista, a da legalização das drogas, etc., etc. A delinquência total. 

Assista o vídeo da celebração realizada ontem, 14 de março, na Paróquia São Luís Gonzaga (Companhia de Jesus - Jesuítas), São Paulo, por conta de um ano do assassinato de Marielle Franco - transformada em "mito" para a militância política comuno-esquerdista. A "celebração" contou com duas figuras célebres no "apostolado" da Teologia da Libertação - Júlio Lancellotti e "frei" David.



II.

Estes foram os "padres" e religiosos que celebraram, na última quinta-feira, 14 de março, a Santa Missa na Paróquia São Luís Gonzaga (Companhia de Jesus - Jesuítas), São Paulo, "in memoriam" de Marielle Franco. A data marcou um ano da morte da vereadora comunista do PSOL. Entre eles aparecem: Eliomar Ribeiro, que presidiu a Santa Missa e comparou Marielle Franco a Jesus Cristo [1]; Júlio Lancellotti, famoso pela militância comunista e pelas aberrações que costuma pregar, como o ideologia LGBT-gayzista. Ele chegou até mesmo a comparar Jesus com um marginal Black Bloc. Lencellotti foi parar nas páginas dos jornais por causa de uma acusação de pedofilia e abuso sexual nunca esclarecida - oportunidade em que foi acompanhado pelo advogado do PT, Luiz Eduardo Greenhalgh. A propósito, foi Lancellotti quem "abençoou" Lula antes de ter sido preso [2]. 

"Frei" David também aparece na foto. Conhecido por incitar a luta racial - principalmente em escolas e universades -, David também foi flagrado, valendo-se de ameaças e intimidações para promover o projeto de reforma da CNBB - Conferência dos Bispos. Um projeto que pretendia ampliar e fortalecer o criminoso esquema de poder comuno-petista [3]. 

Trata-se de mais uma amostra das ações e iniciativas dos delinquentes que tomaram de assalto a Santa Igreja. Pose e sorriso para se vangloriar da politização da fé - claro, sob o "catecismo" da Teologia da Libertação - e "celebrar" a "causa" de Marielle Franco, a vereadora comunista que pregava o aborto (o assassinato de crianças inocentes), a ideologia de gênero LGBT-gayzista, a legalização das drogas, enfim, a representante de uma agenda escandalosamente contrária à fé católica. 

III.

Na Missa "in memoriam" de Marielle Franco, na Paróquia São Luís Gonzaga (Companhia de Jesus - Jesuítas), São Paulo, a Oração dos Fiéis foi utilizada para levantar o discurso de oposição ao governo Bolsonaro - claro, com todas as suas mentiras e distorções. Trata-se de mais uma amostra, não só da politização da fé - sob os cânones da Teologia da Libertação -, mas de como o "mito" Marielle Franco serve de artifício e pretexto para fomentar a militância comunista, a sua agenda, discurso e posições.



IV.

A profanação na Paróquia São Luís Gonzaga (SP) "in memoriam" de Marielle Franco. Mais imagens da Missa celebrada por "apóstolos" da Teologia da Libertação para "louvar" a vereadora comunista do PSOL e ativista do assassinato de crianças inocentes - aborto -, da ideologia de gênero LGBT-gayzista, legalização das drogas, etc., etc. 

V. 

Você ficou horrorizado com o "padre" Eliomar Ribeiro, por comparar Marielle Franco com Jesus Cristo? [4] Dias antes dessa blasfêmia tenebrosa, a vereadora foi "invocada" para celebrar o "Dia Internacional da Mulher" (data idealizada por uma militante comunista, Clara Zetkin, com uma amontoado de fraudes históricas). O site Ateliê 15 comparou Marielle Franco à Santíssima Virgem Maria (cf. imagem). Agora, imagine se Nossa Senhora tivesse assumido o disparatado lema do "meu corpo, minhas regras". Imagine se Ela tivesse realizado em si mesma a bandeira levantada por Marielle, assassinando Jesus Cristo com um aborto. Uma monstruosidade. 

No Facebook, a página do Ateliê 15 se apresenta assim: "Página dos traços e rabiscos elaborados por Aurélio Fred" [5]. Mas o interessado em pesquisar irá encontrar esse tipo de "arte religiosa" reproduzido em sites e páginas "inspirados" pela nefasta Teologia da Libertação - como o Portal das CEB's [6].

VI. 

Você ainda tem na memória a profanação realizada na Paróquia São Luís Gonzaga (SP) "in memoriam" de Marielle Franco, não é? O folheto da "Páscoa" da vereadora comunista, a comparação da abortista com Jesus Cristo [7], a Oração dos "fiéis" militantes contra o governo Bolsonaro [8], etc., etc. Muito bem. O "padre" Ivaldino de Assis Mendes Tavares, que participou da celebração, chamou a atenção pelos paramentos no mínimo "exóticos". Mas, veja só a foto com a qual ele está registrado no site da Arquidiose de São Paulo [9]. Ora, é padre ou cover do Bob Marley, do Jimmy Cliff?  


O "padre" Assis, como é frequentemente chamado, é de Cabo Verde, e celebra na Capela Nossa Senhora das Almas dos Aflitos, local conhecido por profanações de cunho "macumbístico".

VII. 

Das profanações de cunho "macumbístico", sobre as quais fiz menção em "nota" anterior [10], e que são realizadas na Capela Nossa Senhora das Almas dos Aflitos, em São Paulo.


Uma curiosidade. Observe o sujeito ali no ambão, todo de preto. Trata-se do petista Adriano Diogo, que nas últimas eleições candidatou-se a deputado estadual pela facção comunista, mas não foi eleito. É interessante recordar que Adriano Diogo comemorou a conclusão do processo de beatificação de Dom Luciano pela Arquidiocese de Mariana [11]. Comemorou a conclusão do processo do reconhecido "apóstolo" da Teologia da Libertação e ex-presidente da CNBB - Conferência dos Bispos do Brasil com Júlio Lancellotti, o "padre" que prega a ideologia gay e que foi acusado de pedofilia e abuso sexual, sendo defendido pelo famoso advogado do PT, Luiz Eduardo Greenhalgh. Lancellotti, que "abençoou" Lula antes do bandido ser preso, e que concelebrou a profanação "in memoriam" de Marielle Franco, na Paróquia São Luís Gonzaga (SP) [12].

Para concluir, mais um dado. O batuque "macumbístico" exibido no vídeo contou com a participação da EDUCAFRO, que tem como representante "frei" David, conhecido por pregar a luta racial, por ter feito ameaças e intimidações em favor da escabrosa proposta de reforma política da CNBB [13], e que também esteve na profanação realizada em "homenagem" à vereadora comunista que levantava a bandeira do aborto, do assassinato de crianças inocentes [14].

VIII.

Um "ritual" de macumba realizado na porta da Igreja da Candelária, no centro do Rio de Janeiro, imediatamente após a celebração da Santa Missa, hoje (14 de março), por conta de um ano do assassinato de Marielle Franco. Assista ao vídeo e reflita: essas pessoas estavam mesmo rezando pela alma da vereadora comunista? Por exemplo. O Monsenhor Manoel Manangão, que presidiu a celebração, censurou ou no mínimo fez alguma ressalva sobre a militância ostensiva de Marielle pela legalização do aborto (do assassinato em massa de crianças inocentes) e das drogas, a promoção da ideologia de gênero LGBT-gayzista e da luta racial, etc., etc. - pautas escandalosamente contrárias à fé católica? Não. Pelo contrário, fez-se o encômio, enquanto dentro da igreja pessoas vestiam uma camiseta com a exortação: "Lute como Marielle Franco". Mais uma vez: a Santa Missa foi para rezar pela alma de Marielle ou a celebração foi mais um ato para explorar um assassinato brutal, um cadáver, transformando uma "ilustre" vereadora comunista desconhecida em "mito" que sirva de instrumento para a promoção de uma agenda comuno-esquerdista e para a militância política? 


(*) As imagens são do canal Mídia Ninja.

IX.

Veja só quem mais se utilizou do assassinato brutal de Marielle Franco e do "mito" criado sobre a vereadora comunista para fazer politicagem: o "padre do PT"! Mas o picareta, que se reelegeu deputado federal com uma campanha registrada na polícia [15], fez mais. O Padre João PT teve a cara de pau de dizer que "Marielle VIVE EM CADA UM DE NÓS, seus CAMINHOS e sua sede de um Brasil MAIS JUSTO e HUMANO". Em cada um de "nós", os "caminhos" por um Brasil "mais justo" e "humano" com o aborto - o assassinato em massa de crianças inocentes -, com a disparatada ideologia de gênero LGBT-gayzista, legalização das drogas, luta racial, totalitarismo comunista, etc., etc. Uma aberração! "Caminhos" de "justiça" e "humanidade" que, no entanto, sãos os mesmos da facção para a qual trabalha o "padre" comuno-petista. Escandalosamente contrários aos princípios e orientações, à fé católica, a Arquidiocese de Mariana nada faz para conter esse "apóstolo" da nefasta Teologia da Libertação.  


REFERÊNCIAS.


[2]. Cf. "Dom Luciano e o 'apostolado' da Teologia da Libertação" [https://b-braga.blogspot.com/2019/01/dom-luciano-e-o-apostolado-da-teologia.html].

[3]. Cf. "Ameaças e intimidações para promover Reforma Política. E agora, CNBB?" [https://b-braga.blogspot.com/2014/11/ameacas-e-intimidacoes-para-promover.html].







[10]. Cf. [http://bit.ly/2TmCr42].

[11]. Cf. "Dom Luciano e o 'apostolado' da Teologia da Libertação", nota IV [https://b-braga.blogspot.com/2019/01/dom-luciano-e-o-apostolado-da-teologia.html].

[12]. Cf. [http://bit.ly/2TP8JtJ].

[13]. Cf. "Ameaças e intimidações para promover Reforma Política. E agora, CNBB?" [https://b-braga.blogspot.com/2014/11/ameacas-e-intimidacoes-para-promover.html].

[14]. Cf. referência [12]. 

[15]. Cf. "João: a campanha eleitoral vigarista do 'padre do PT'" [https://b-braga.blogspot.com/2018/10/joao-campanha-eleitoral-vigarista-do.html].

No comments: