Monday, November 18, 2013

Execução imediata das penas - MENSALEIROS presos.

Bruno Braga.



Líderes da QUADRILHA do PT estão presos. José Genoino, o “guerrilheiro de festim” que traiu os seus comparsas no Araguaia sem tomar um safanão; e José Dirceu – o agente treinado em Cuba, o “Pedro Caroço” de Cruzeiro do Oeste e ex-Ministro-Chefe da Casa Civil do Presidente Lula. Trata-se da execução imediata das penas referentes aos crimes que não estão submetidos a recursos – embargos infringentes ou de declaração – e que integram o processo do MENSALÃO.

Com as prisões decretadas, José Genoino e José Dirceu fizeram a SAUDAÇÃO COMUNISTA – punhos erguidos – quando se apresentaram à Polícia Federal.

Luiz Inácio telefonou para os dois companheiros tentando consolá-los: “Estamos juntos” (Estadão, 15 de Novembro de 2013). O “Chefe” – protagonista no esquema, mas inexplicavelmente excluído da ação penal – teria feito melhor se viesse a público para confessar: “ESTÁVAMOS juntos”.

Uma medida de precaução é imediatamente necessária na execução das penas atribuídas aos condenados. Não permitir a convivência deles com os presos comuns. Porque no passado os revolucionários SOCIALISTAS-COMUNISTAS iniciaram os delinquentes em estratégias e táticas de grupos guerrilheiros e terroristas. Eles foram os responsáveis diretos pelo surgimento do CRIME ORGANIZADO e de suas principais facções – das quais permanecem aliados - o Comando Vermelho e o PCC. Se a história se repetir, a bandidagem passará por mais um processo de “QUALIFICAÇÃO”.

Existem recursos para serem julgados. Os embargos infringentes podem gerar uma reviravolta indecorosa, pois o crime de formação de quadrilha será reanalisado pelo STF, tendo o tribunal uma nova composição manejada pelo governo petista. Artifícios jurídicos e manobras políticas – a quadrilha investe ainda na confusão da opinião pública. Uma tropa – formada por militantes, “Intelectuais”, jornalistas, blogueiros, artistas imbecilizados, etc. – que equipara o MENSALÃO a esquemas de corrupção distintos dele – como o “MENSALÃO mineiro”; que eleva bandidos ao status de “mártires”, atribuindo a eles um papel histórico que não desempenharam e os designando falsamente como “presos políticos”. Enfim, há ainda um longo percurso até o fim do processo do MENSALÃO, e um esforço hercúleo será investido para tentar livrar a QUADRILHA PETISTA-SOCIALISTA-COMUNISTA da responsabilidade pelo maior esquema de corrupção da história do país – não só pelo desvio e subtração de somas milionárias, mas, sobretudo, pela fraude do sistema político nacional para realizar um funesto projeto de concentração de poder.


Nota publicada no Facebook em 17 de Novembro de 2013.


No comments: