Saturday, January 09, 2016

Nicarágua: São João Paulo II contra a Teologia da Libertação.

Bruno Braga.
Notas publicadas no Facebook.


I.


Carta aos Bispos da Nicarágua.

(*) NOTA. A Frente Sandinista de Libertação Nacional (FSLN) havia tomado o poder na Nicarágua. O grupo terrorista - aliado do PT e do Foro de São Paulo [1] - contava com a participação ativa de "apóstolos" da Teologia da Libertação, que tomaram de assalto a Igreja Católica para utilizá-la em favor do abominável regime comunista. 

"Queridos Irmãos no Episcopado,

[...]

"Pois bem, esta unidade dos fiéis aparece aos olhos como o dom talvez mais precioso — porque frágil e ameaçado — desta Igreja na Nicarágua vossa e nossa.

[...]

"Por isso a Igreja na Nicarágua tem a grande responsabilidade de ser sacramento, isto é, sinal e instrumento de unidade no País. Para tanto deve ser ela mesma, como comunidade, uma verdadeira unidade e imagem da unidade.

"A respeito disto, deve-se recordar que quanto mais fermentos de discórdia e desunião, de ruptura e separação, existem num ambiente, tanto mais a Igreja deve ser âmbito de unidade e coesão. Mas sê-lo-á somente se der testemunho de ser "cor unum et anima una" graças a princípios sobrenaturais de unidade, suficientemente enérgicos e determinantes, para vencer as forças da divisão às quais ela também se encontra sujeita.

"Dado que sois por vocação divina sinais visíveis de unidade, oxalá consigais não se dividam por causa de OPOSTAS IDEOLOGIAS os cristãos do vosso País, os quais vivem unidos por "um só Senhor, uma só fé, um só Baptismo, um só Deus e Pai", como costumam cantar inspirando-se em palavras do Apóstolo Paulo. E oxalá unidos pela MESMA FÉ e REPELINDO TUDO O QUE É CONTRÁRIO ou DESTRÓI essa unidade, os vossos cristãos se encontrem irmanados nos ideais evangélicos de justiça, paz, solidariedade, comunhão e participação, SEM QUE OS SEPAREM DE MANEIRA IRREMEDIÁVEL OPÇÕES NASCIDAS DE SISTEMAS, CORRENTES, PARTIDOS OU ORGANIZAÇÕES.

[...]

"Conheceis a grande importância das cartas de Santo Inácio de Antioquia, seja pela autoridade de quem as escreve — um discípulo do apóstolo amado —, seja pela antiguidade que faz delas o testemunho de um momento vital na história da Igreja, seja pela riqueza do seu conteúdo doutrinal. Pois bem, com termos muito fortes Inácio demonstra nestas cartas, certamente para responder às primeiras dificuldades, neste campo, que não há e nem pode haver comunhão válida e duradoura na Igreja senão na união de mente e coração, de respeito e obediência, de sentimentos e de acção com o Bispo. O que se diz das cordas da lira é graciosa e sugestiva imagem de uma realidade mais profunda: o Bispo é como Jesus Cristo, que está presente na sua Igreja como princípio vivo e dinâmico de unidade. Sem Ele esta unidade não existe ou está falseada e, portanto, é inconsistente e efémera.

"Daí o ABSURDO e PERIGOSO que é imaginar-se como AO LADO — para não dizer em OPOSIÇÃO — da Igreja construída ao redor do Bispo, OUTRA IGREJA CONCEBIDA COMO 'CARISMÁTICA' E NÃO INSTITUCIONAL, 'NOVA' E NÃO TRADICIONAL, ALTERNATIVA E, como se preconiza ultimamente, uma IGREJA POPULAR (NOTA. "Igreja Popular" ou "Igreja do Povo"). 

"Não ignoro que a esta denominação — sinónimo de "Igreja que nasce do povo" — pode atribuir-se uma significação aceitável. Com ela queria assinalar-se que a Igreja surge quando uma comunidade de pessoas, especialmente de pessoas pela sua pequenez, humildade e pobreza dispostas à aventura cristã, SE ABRE à Boa Nova de Jesus Cristo e começa a vivê-la, em comunidade de fé, de amor, de esperança, de oração, de celebração e participação nos mistérios cristãos, de modo especial na Eucaristia.

"Contudo sabeis que o documento conclusivo da IIIª Conferência Episcopal Latino-Americana de Puebla DECLAROU 'POUCO ACERTADO' ESTE NOME DE 'IGREJA POPULAR' (cf. n. 263). Fê-lo, depois de maduro estudo e reflexão entre Bispos de todo o Continente, pois estava consciente de que ESTE NOME ENCOBRE, EM GERAL, OUTRA REALIDADE. 

"Igreja Popular", na sua acepção mais comum, visível nos escritos de CERTA CORRENTE TEOLÓGICA, significa UMA IGREJA QUE NASCE MUITO MAIS DE SUPOSTOS VALORES DE UMA CAMADA DA POPULAÇÃO DO QUE DA LIVRE E GRATUITA INICIATIVA DE DEUS. Significa UMA IGREJA QUE SE EXAURE NA AUTONOMIA DAS CHAMADAS BASES, SEM REFERÊNCIA AOS LEGÍTIMOS PASTORES OU MESTRES, ou ao menos SOBREPONDO OS 'DIREITOS' DAS PRIMEIRAS À AUTORIDADE E AOS CARISMAS QUE A FÉ FAZ PERCEBER NOS SEGUNDOS. Significa — já que AO TERMO POVO SE DÁ DE MODO FÁCIL UM CONTEÚDO ACENTUADAMENTE SOCIOLÓGICO E POLÍTICO — IGREJA ENCARNADA NAS ORGANIZAÇÕES POPULARES, MARCADA POR IDEOLOGIAS, POSTAS AO SERVIÇO DAS SUAS REIVINDICAÇÕES, DOS SEUS PROGRAMAS E GRUPOS CONSIDERADOS COMO NÃO PERTENCENTES AO POVO. É fácil perceber — e indica-o de maneira explícita o documento de Puebla — que O CONCEITO DE 'IGREJA POPULAR' DIFICILMENTE ESCAPA DA INFILTRAÇÃO DE CONOTAÇÕES FORTEMENTE IDEOLÓGICAS, NA LINHA DE CERTA RADICALIZAÇÃO POLÍTICA, DA LUTA DE CLASSES, DA ACEITAÇÃO DA VIOLÊNCIA PARA CONSEGUIR DETERMINADOS FINS, ETC.

"Quando eu mesmo no meu discurso de abertura da Assembleia de Puebla fiz sérias reservas sobre a denominação "Igreja que nasce do povo", tinha em vista os perigos agora mesmo recordados. Por isso, sinto agora o dever de repetir, valendo-me da vossa voz, a mesma advertência pastoral, afectuosa e clara. É um chamamento aos vossos fiéis por meio de vós.

"UMA 'IGREJA POPULAR' OPOSTA À IGREJA PRESIDIDA PELOS LEGÍTIMOS PASTORES É - DESDE O PONTO DE VISTA DO ENSINAMENTO DO SENHOR E DOS APÓSTOLOS NO NOVO TESTAMENTO E TAMBÉM NO ANTIGO E RECENTE ENSINAMENTO DO MAGISTÉRIO SOLENE DA IGREJA - UMA GRAVE DESVIAÇÃO DA VONTADE E DO PLANO DE JESUS CRISTO. É ALÉM DISSO UM PRINCÍPIO DE VIOLAÇÃO E RUPTURA DAQUELA UNIDADE QUE ELE DEIXOU COMO SINAL CARACTERÍSTICO DA MESMA IGREJA, E QUE ELE QUIS CONFIAR PRECISAMENTE AOS QUE 'O ESPÍRITO SANTO ESTABELECEU PARA REGER A IGREJA DE DEUS' (Act 20, 28).

"Confio-vos, pois, amados Irmãos no Episcopado, o encargo e tarefa de fazer aos vossos fiéis, com paciência e firmeza, esse chamamento de fundamental importância.

"Temos todos presente no espírito o conceito do meu Predecessor Paulo VI, quando escrevia na sua memorável exortação apostólica, Evangelii nuntiandi, que OS PERIGOS MAIS INSIDIOSOS E OS ATAQUES MAIS MORTÍFEROS PARA A IGREJA NÃO SÃO OS QUE VÊM DE FORA - ESTES SÓ PODEM AFIANÇÁ-LA NA SUA MISSÃO E NO SEU TRABALHO - MAS OS QUE VÊM DE DENTRO.

"Tratem pois todos os filhos da Igreja, neste momento histórico para a Nicarágua e para a Igreja neste País, de contribuir para manter sólida a comunhão ao redor dos seus Pastores, evitando qualquer gérmen de ruptura ou divisão.

"Chegue sobretudo tal chamamento à consciência dos Presbíteros, sejam eles oriundos do País, missionários que há anos consagram as suas vidas ao ministério pastoral nessa Nação ou voluntários desejosos de dar a sua contribuição aos irmãos nicaraguenses, numa hora de suma transcendência. SAIBAM QUE, SE QUEREM DEVERAS SERVIR O POVO COMO SACERDOTES, ESTE POVO FAMINTO E SEDENTO DE DEUS E CHEIO DE AMOR À IGREJA, DELES ESPERA O ANÚNCIO DO EVANGELHO, A PROCLAMAÇÃO DA PATERNIDADE DE DEUS, A DISPENSAÇÃO DOS MISTÉRIOS SACRAMENTAIS DA SALVAÇÃO. NÃO É COM UM PAPEL POLÍTICO, MAS COM O MINISTÉRIO SACERDOTAL QUE O POVO OS QUER TER AO LADO. 

[...]

"Desejo, espero e peço-vos façais todo o possível para que em vós e nas vossas gentes a fidelidade a Cristo e à Igreja, longe de diminui-la, confirme e enriqueça a lealdade para com a Pátria terrena.

[...]

Vaticano, 29 de Junho de 1982.
JOANNES PAULUS PP. II


II.


[...]

"Já em 1969, Carlos Fonseca, o principal fundador dos Sandinistas, publicou um tratado político que revelava um MARXISMO STALINISTA linha dura. Os acordos e pactos que os Sandinistas fizeram durante os anos 1960 com FIDEL CASTRO - comissário soviético em Cuba - e com representantes diretos da UNIÃO SOVIÉTICA, davam testemunho do objetivo e do apoio reunidos para isso. Os acordos com Havana e Moscou envolviam ARMAMENTO e PROPAGANDA. Eles também fecharam um pacto com a ORGANIZAÇÃO DE LIBERTAÇÃO DA PALESTINA (OLP), que treinaria os Sandinistas em táticas de guerrilha". 

[...]

in MARTIN, Malachi. "The Jesuits": The Society of Jesus and the Betrayal of the Roman Catholic Church. Simon & Schuster: NY, 1987. p. 55. Tradução do trecho citado. Bruno Braga.

Em 1983, São João Paulo II visitou a Nicarágua. O Papa estava determinado a coibir os "apóstolos" da Teologia da Libertação que, além de assaltarem a Igreja Católica e utilizá-la em favor da revolução, integravam o governo da Frente Sandinista de Libertação Nacional (FSLN) - grupo terrorista, aliado do PT no ambicioso projeto do Foro de São Paulo de transformar a América Latina na "Patria Grande" comunista.

(*) NOTA. A KGB criou e treinou Yasser Arafat para comandar a OLP - grupo terrorista islâmico. Cf. [https://www.facebook.com/blogbbraga/posts/458266547655296].

III.

04 de Março de 1983. O dia em que os "apóstolos" da Teologia da Libertação - integrantes do regime comunista Sandinista da Nicarágua (FSLN) - boicotaram o Papa, agora santo, João Paulo II. E mais. Ofenderam o próprio Cristo, pois tudo aconteceu durante a celebração da Missa, em que o Senhor se faz presente na Santa Eucaristia.

Eis os servos da "Patria Grande" comunista.

Assista ao vídeo.

Fonte. Programa "Vidas y Confesiones". TV nicaraguense.

IV.

"'Apóstolos' da Teologia da Libertação celebram a 'Noite Sandinista'".

Em 1980, Taboão da Serra, em São Paulo, abrigou o IV Congresso Internacional Ecumênico de Teologia, que tinha como tema "Eclesiologia das Comunidades Eclesiais de Base". Entre os "católicos", participaram do evento - com menção à posição na hierarquia eclesiástica e às atividades que desempenhavam na época: 

. Dom José Maria Pires, Arcebispo de João Pessoa; 
. Dom Pedro Casaldáliga, Bispo de São Félix do Araguaia;  
. Padre Edenio do Valle, Vice-Reitor da Pontifícia Universidade de São Paulo; 
. Frei Gilberto Gorgulho, O.P., Coordenador de Pastoral em São Paulo; 
. Frei Leonardo Boff, O.F.M., teólogo redator da “Revista Eclesiástica Brasileira”;
. Frei Carlos Mesters, O. Carm., exegeta;
. Padre José Oscar Beozzo, diretor do Instituto Teológico de Lins; 
. Padre Paulo Suess, secretário-geral do CIMI (Conselho Indigenista Missionário); 
. Padre João Batista Libânio, S.J., Assessor da CNBB; 
. Frei Carlos Alberto Libânio Christo, O.P. (Frei Betto), secretário-executivo do Congresso; 
. Hugo Assmann, teólogo; 

Das delegações estrangeiras, vale destacar a presença do peruano Gustavo Gutiérrez - dado como "fundador" da Teologia da Libertação. 

Paralelamente, ocorria na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo a "Semana de Teologia", cujo tema era "A Igreja na América Latina". Este evento na PUC-SP era uma extensão daquele realizado em Taboão da Serra, com intercâmbio anunciado pelo próprio Dom Evaristo Arns - e, em uma de suas sessões noturnas, promoveu a "Noite Sandinista". Com a presença do Comandante Daniel Ortega e de outros terroristas, celebrou-se a conquista da Frente Sandinista de Libertação Nacional (FSLN), grupo de guerrilha comunista que, no ano anterior, tomou o poder na Nicarágua - com o patrocínio de Cuba, da União Soviética, e com a participação efetiva dos "apóstolos" da Teologia da Libertação. 

Na foto abaixo, à direta de Daniel Ortega - que ergue o punho cerrado - está Betto, o "frei" de araque que trabalhou com Lula e Fidel Castro na fundação do Foro de São Paulo, organização empenhada em transformar a América Latina na "Patria Grande" comunista.


(*) Com informações da  Revista "Catolicismo", Julho-Agosto, 1980. "Na 'Noite Sandinista', o incitamento à guerrilha". Plínio Corrêa de Oliveira.


REFERÊNCIAS.

[1]. Cf. "Foro de São Paulo: a gênese criminosa da 'Patria Grande' comunista" [http://b-braga.blogspot.com.br/2015/08/foro-de-sao-paulo-genese-criminosa-da.html].

ARTIGO RECOMENDADO.

BRAGA, Bruno. "A Nicarágua e o 'apostolado' SOCIALISTA-COMUNISTA da revolução" [http://b-braga.blogspot.com.br/2014/05/a-nicaragua-e-o-apostolado-socialista.html].

(*) Leia também:



III. "O Presidente Lula no mausoléu de Yasser Arafat" [https://www.facebook.com/blogbbraga/posts/458266547655296].

VÍDEOS.

I. "'Apóstolos' da Teologia da Libertação boicotam o Papa, um santo, e ofendem o próprio Cristo" [https://youtu.be/hiuNbjXW754]. 

II. "São João Paulo II combate a Teologia da Libertação na América Latina" [https://youtu.be/KH1dskQtPYQ]. 

No comments: