Friday, January 22, 2016

Nota extemporânea sobre a "Marcha para Satanás".

Bruno Braga.


No último domingo, 17 de janeiro, realizou-se a "Marcha para Satanás". O evento, que aconteceu em pelo menos quinze cidades, foi apresentado como uma resposta "bem-humorada" contra a "Marcha para Jesus" [1]. Contudo, tinha uma motivação política: "criticar o avanço de pautas conservadoras propostas pela bancada evangélica" [2] - colocar-se contra o "avanço da teocracia" no Brasil [3].

Ora, quem acompanha os debates públicos, mesmo que superficialmente, é capaz de reconhecer esta forma estereotipada de expressão. Mas, curioso, não é apenas a afetação do discurso, a pauta dos satanistas coincide exatamente com as reivindicações dos militantes comuno-petistas [4]. É importante destacar um dos itens: as "modificações na Lei de Atendimento das Vítimas de Violência Sexual". 

A referência é o PL. 5069-2013. Basta ler o projeto para constatar que ele não deixa as "vítimas de violência sexual" desamparadas, como sugere a expressão dos satanistas. O PL é uma tentativa de conter a banalização do aborto, e criminaliza o anúncio e venda de substâncias abortivas [5]. Distorcer a questão é parte da estratégia dos defensores do aborto, e também dos satanistas, que confessam, querem "discutir" - traduzindo, legalizar - o aborto [6].

Enfim, de "bem-humorada" a "Marcha para Satanás" não tem nada. A iniciativa de distorcer deliberadamente, o propósito de enganar, ludibriar, para promover a matança de crianças inocentes é - pode-se dizer - realmente satânica. 


(*) Imagem: "Marcha para Satanás", Rio de Janeiro, 17 de janeiro de 2016. Fonte: Portal UOL. 


REFERÊNCIAS.




[4]. Idem. 


[6]. Cf. [3].


ARTIGO RECOMENDADO.

"Ex-satanista: 'eu fazia rituais satânicos dentro de clínicas de aborto'". Equipe Christo Nihil Praeponere (Padre Paulo Ricardo) [https://padrepauloricardo.org/blog/ex-satanista-eu-fazia-rituais-satanicos-dentro-de-clinicas-de-aborto]. 

No comments: