Thursday, June 16, 2016

CDHM: "Padre" do PT comanda "trincheira" comuno-petista.

Bruno Braga.
Notas publicadas no Facebook.


I.

No dia 03 de maio, João assumiu a presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias [CDHM] da Câmara dos Deputados. João é um dos "padres" do PT. Um "apóstolo" da Teologia da Libertação, do simulacro de teologia criado para distorcer a fé, enganar os católicos e parasitar a Igreja Católica para favorecer o esquema de poder comuno-petista [1].

O novo presidente da CDHM afirmou que a Comissão será uma "trincheira" de "luta" e de "resistência". Ele denunciou a violação de "direitos" e, de imediato, apontou uma suposta violação do "direito à soberania do voto". Um referência clara à Presidente Dilma Rousseff, que para se defender do impeachment alardeia - como João - a falsa tese de "golpe" (Cf.  vídeo).


Não são apenas manifestações explícitas, como a do seu presidente, que caracterizam a instrumentalização da Comissão de Direitos Humanos. Os próprios "direitos" e "bandeiras" são utilizados como "armas". Há uma gritaria cínica que anuncia o perigo de um "retrocesso", o risco de "direitos" que foram "conquistados" serem "perdidos" com a mudança de governo. Gritaria e protestos promovidos pela comunidade LGBT-gayzista-feminista, pelos sem-terra do MST e sem-teto do MTST, pelo movimento negro, indigenista e quilombola, por grupos estudantis e de juventude, por "intelectuais", "agentes culturais" e entidades sindicais. Todos militantes dos "direitos humanos" vinculados ao esquema de poder do PT. 

A Comissão de Direitos Humanos é "trincheira" e os tais "direitos" são munição para o terrorismo comuno-petista. Um parlamentar que se apresenta como "padre" à frente de uma batalha sórdida, que para ser bem-sucedida precisa enganar a população, é uma amostra - mais uma - do tipo de sacerdócio que exerce, a quem ele serve e tem como senhor, pois as "bandeiras" que levanta contrariam frontalmente os princípios e orientações da Igreja Católica.  

II.

CDHM: o "padre" do PT e a estratégia comuno-petista.


João - o "padre" do PT - presidiu a sua primeira audiência na Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados. A sessão, realizada no dia 18 de maio, foi uma confissão pública de como a CDHM servirá de "trincheira" e como os "direitos humanos" serão transformados em "armas" para o terrorismo comuno-petista [2]. Assista ao vídeo. 


O discurso é um só: o atual governo assumiu o poder por meio de um "golpe" e é uma ameaça aos "direitos". A deputada abortista Erika Kokay (PT-DF) - empenhada na legalização do assassinato de crianças inocentes - afirma com convicção e sem se ruborizar o "direito de ser" e um tal "direito de amar". Paulo Pimenta (PT-RS) é categórico: a Comissão de Direitos Humanos será "FUNDAMENTAL para MOBILIZAR o 'povo brasileiro', para dizer 'não' aos 'golpistas'". Porém, o "povo brasileiro" para o ex-presidente da CDHM não é formado pelo cidadão comum. "Povo brasileiro" significa "movimentos sociais", ou seja, grupos que trabalham para o PT. Na primeira audiência como presidente, João reuniu mais de sessenta "entidades" na Câmara Federal (Cf. vídeo). Um "exército" de sessenta "entidades" a serviço do esquema comuno-petista.  

Uma observação final. É preciso lembrar que os comunistas chegaram ao poder fazendo uma revolução - não exclusivamente com armas, estratégia com a qual não obtiveram sucesso - mas uma revolução cultural. Um dos artifícios utilizados foi o disfarce, e justamente o disfarce de militante e ativista dos "direitos humanos". Com ele, os seus agentes passaram a dominar o sistema educacional e promoveram suas carreiras políticas. Dilma Rousseff é um exemplo notório: a terrorista comunista que tornou-se Presidente da República. É verdade que as máscaras estão caindo. Basta ver como as pessoas já reconhecem os terroristas que se travestem de pobres "torturados" [3]. Contudo, os comunistas estão reformando o disfarce: com o impeachment da mandatária comuno-petistas, fingem-se de "vítimas" de um "golpe". A camuflagem é mais uma vez a dos "direitos humanos", e recebe, também como no passado, as "bençãos" do traiçoeiro "apostolado" da Teologia da Libertação - na Câmara dos Deputados, a "benção" de João, "padre" do PT e novo presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias [CDHM].

REFERÊNCIAS.

[1]. Para quem não conhece João, o deputado federal do PT que se apresenta como "padre", leia: "João: idolatria do "Jararaca", serviço à quadrilha comuno-petista e Teologia da Libertação" [http://b-braga.blogspot.com.br/2016/04/joao-idolatria-do-jararaca-servico.html]; "CNBB: templo do 'apostolado' comuno-petista" [http://b-braga.blogspot.com.br/2015/07/cnbb-templo-do-apostolado-comuno-petista.html]; "O 'padre' do PT: o 'Robert' e a campanha para um agente do Foro de São Paulo" [http://b-braga.blogspot.com.br/2015/04/o-padre-do-pt-o-robert-e-campanha-para.html]; "João - 'vida dupla', improbidade administrativa e guerrilha rural dos sem-terra" [http://b-braga.blogspot.com.br/2015/02/joao-vida-dupla-improbidade.html]; "Os 'padres' que absolveram Dilma" [http://b-braga.blogspot.com.br/2014/12/os-padres-que-absolveram-dilma.html]; "O 'apostolado' do SOCIALISMO-COMUNISMO em Brasília" [http://b-braga.blogspot.com.br/2014/03/o-apostolado-do-socialismo-comunismo-em.html]; "JOÃO e o seu 'apostolado da revolução'" [http://b-braga.blogspot.com.br/2014/05/joao-e-o-seu-apostolado-da-revolucao.html].

[2]. Leia: "'Padre' do PT comanda 'trincheira' comuno-petista" [https://www.facebook.com/blogbbraga/posts/641774089304540].

[3]. Cf. "Bolsonaro, Ustra: o 'torturador' e a mitologia comunista" [http://b-braga.blogspot.com.br/2016/04/bolsonaro-ustra-o-torturador-e.html]; "E os 'torturadores' comunistas? Estupro, escravidão sexual, crânio esfacelado e assassinato dos próprios filhos" [http://b-braga.blogspot.com.br/2016/05/e-os-torturadores-comunistas-estupro.html].

No comments: