Friday, June 17, 2016

Mariana: "movimentos populares" e "trincheira" comuno-petista.

Bruno Braga.


Em duas notas anteriores tratei da instrumentalização da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados [CDHM]. João - o "padre" do PT - assumiu o colegiado e afirmou que ele será uma "trincheira" de "luta" e de "resistência" para as ambições políticas comuno-petistas com o afastamento da Presidente Dilma Rousseff por causa da abertura do processo de impeachment - processo que o "apóstolo" da Teologia da Libertação chama cinicamente de "golpe" [1].

A "trincheira", contudo, não está aberta apenas na Câmara dos Deputados, ela foi cavada também na Arquidiocese de Mariana, em Minas Gerais. Veja a foto abaixo.


Trata-se do "Encontro Brasileiro dos Movimentos Populares em Diálogo com o Papa Francisco", evento realizado na cidade mineira de Mariana entre os dias 02 e 04 de junho. Com o microfone discursa João, o novo presidente da CDHM. No palco, estendidas, aparecem as bandeiras dos tais "movimentos populares" - junto com uma de Cuba - grupos e organizações que trabalham para o esquema comuno-petista e que o "padre" do PT reuniu na "trincheira" comandada por ele na Câmara dos Deputados. 

Se o leitor mais desconfiado não acredita no que os seus olhos veem, que leia a "Carta do Encontro Brasileiro de Movimentos Populares", reproduzida no site da Arquidiocese de Mariana. O documento traz slogans e ideais comunistas - parêntese: slogans e ideais contrários aos princípios e orientações da própria Igreja - e, claro, a tese criada para enganar não só os católicos mas a população inteira: a de que a Presidente Dilma é vítima de um "golpe" e que o governo em exercício é uma "ameaça" a "direitos" supostamente "conquistados". Veja:
"NESTE MOMENTO DE TREVAS NO PAÍS, O ENCONTRO BRASILEIRO SURGE COM UMA LUZ. Nos últimos anos, o modelo de desenvolvimentos adotado foi favorecido pelo contexto internacional, possibilitou avanços e garantias de DIREITOS sociais, mas muito lucro para o capital. Com a crise do capitalismo mundial iniciada em 2008, este modelo se esgotou. As forças do capital querem garantir seus interesses, mas nosso povo vem resistindo. TOMARAM O GOVERNO FEDERAL por meio de um GOLPE, com apoio do Congresso Nacional e do Judiciário brasileiro, impondo o modelo neoliberal derrotado por quatro vezes nas urnas" [2].    
É preciso observar que o Encontro Brasileiro é uma expressão local do Encontro Mundial de Movimentos Populares. As duas edições deste último - realizado no Vaticano, em 2014, e na Bolívia, em 2015 - e que contaram com a presença do Papa Francisco, foram uma amostra de como os comunistas ardilosamente entraram dentro da Igreja utilizando o disfarce de "movimentos populares" e "sociais" e reivindicando "direitos". A presença e atuação de Evo Morales - um cocaleiro travestido de índio que trabalha para o Foro de São Paulo - foram um escândalo [3]. O terceiro Encontro Mundial dos Movimentos Populares está programado para 2017, e será realizado justamente em Mariana - pelo visto, será mais um evento de militância comuno-petista.

João Pedro Stédile - líder do MST, grupo de guerrilha rural do Foro de São Paulo - em Mariana.

Dom Geraldo Lyrio Rocha, Arcebispo de Mariana, no "Encontro Brasileiro de Movimentos Populares".

Militância comuno-petista.

REFERÊNCIAS.

[1]. Cf. CDHM: "Padre" do PT comanda "trincheira" comuno-petista [http://b-braga.blogspot.com.br/2016/06/cdhm-padre-do-pt-comanda-trincheira.html].

[2]. Cf. "Carta do Encontro Brasileiro de Movimentos Populares em Dialogo com o Papa Francisco" [http://www.arqmariana.com.br/carta-do-encontro-brasileiro-de-movimentos-populares-em-dialogo-com-o-papa-francisco/].

[3]. Cf. "Francisco: a cruz, a foice e o martelo" [http://b-braga.blogspot.com.br/2015/07/francisco-cruz-foice-e-o-martelo.html].

No comments: