Thursday, October 06, 2016

Ana Maria Braga, Fátima e a ideologia de gênero gayzista.

Bruno Braga.


Ana Maria Braga ostenta uma imagem de Nossa Senhora de Fátima sobre a sua mesa, e é conhecida por certa devoção à Santíssima Virgem, que apareceu aos três pastorinhos. Contudo, não raro a apresentadora da Rede Globo promove e celebra algo que contraria escandalosamente a fé católica e a extraordinária presença da Mãe de Deus em Portugal. Uma amostra disso - mais uma - foi ao ar no dia 29 de setembro. 

"Cronista do cotidiano". Ana Maria Braga chama Fernando Ceylão para apresentar a matéria "Crianças falam o que pensam sobre assuntos diversos". O repórter submete um grupo de pequeninos a uma série de perguntas, e uma delas era: "você vê algum problema de uma criança ser criada por dois pais ou duas mãe?" (Cf. imagem) [1]. 

Não é preciso muito esforço para identificar o condicionamento das crianças, o artifício rasteiro de utilizar o apelo que a imagem delas exerce sobre o telespectador e - como objetivo final - a promoção da ideologia de gênero gayzista. É o trabalho de Fernando Ceylão - o "cronista" de Ana Maria Braga que afirma: "Ninguém é mais hétero" [2].   

O próximo dia 13 de outubro marca os noventa e nove anos do "Milagre do Sol". O milagre prometido por Nossa Senhora "para que todos acreditem", testemunhado por milhares de pessoas em Fátima [3]. Em 1917, logo após a dança do sol, apareceu a Sagrada Família. Lúcia - a vidente - narrou assim aquele excepcional acontecimento: 
"Desaparecida Nossa Senhora, na imensa distância do firmamento, vimos, ao lado do sol, S. José com o Menino e Nossa Senhora vestida de branco, com um manto azul. S. José com o Menino pareciam abençoar o Mundo com uns gestos que faziam com a mão em forma de cruz" [4]. 
A mesma Lúcia, tempos depois - em uma carta ao cardeal Carlo Cafarra - alertou que o confronto final entre o Senhor e o reino de Satanás seria sobre o matrimônio e sobre a família.

Muito bem. Não se trata aqui de avaliar a fé uma pessoa. No entanto, parece claro que a imagem de Nossa Senhora de Fátima tornou-se simples adereço sobre a mesa de Ana Maria Braga ou objeto de uma devoção vazia. Diante dela se prega o que contraria a presença da Santíssima Virgem, de seu esposo e Filho em Portugal.  Se Ana Maria Braga e Fernando Ceylão se propuseram a utilizar a "ingenuidade" de crianças já condicionadas pelo "catecismo" de uma engenharia social e comportamental macabra, pelas câmeras, e com elas mostrar para o público que "dois pais" e "duas mães" - que o gayzismo - é algo muito "normal", seria interessante vê-los questionarem aqueles três pastorinhos, que, com Nossa Senhora e milhares de pessoas, estiveram diante da sagrada e verdadeira família. Certamente, a reação e a resposta deles seriam bem diferentes.


REFERÊNCIAS.

[1]. Cf. Programa "Mais você", 29 de setembro de 2016. "Crianças falam o que pensam sobre assuntos diversos" - Cena 2/5 - tempo [04:44] [http://gshow.globo.com/programas/mais-voce/episodio/2016/09/29/ana-maria-fala-sobre-pessoas-que-estao-sempre-jovens-e-recebe-o-elenco-do-musical-forever-young.html#video-5339790].

[2]. Cf. "'Ninguém mais é hétero', defende Fernando Ceylão". O Globo, 02 de abril de 2015 [http://blogs.oglobo.globo.com/gente-boa/post/ninguem-mais-hetero-defende-fernando-ceylao-564067.html].

[3]. "Em outubro farei o milagre, para que todos acreditem. E começando a elevar-se, desapareceu como de costume". Cf. "Memórias da Irmã Lúcia". Secretariado dos Pastorinhos: Fátima, Portugal. 13a ed., 2007. pp. 179-180. 

[4]. Idem, pp. 180-81.

ARTIGOS RECOMENDADOS.

BRAGA, Bruno. "Fantástico adapta a 'família' à 'novilíngua' gayzista" [http://b-braga.blogspot.com.br/2016/05/fantastico-adapta-familia-novilingua.html].

No comments: