Monday, December 17, 2018

João de Deus e algumas notas sobre o espiritismo.

Bruno Braga.
Notas publicadas no Facebook.


I.

As denúncias que envolvem o médium João de Deus não podem ser reduzidas a puro charlatanismo, e exigem mais que investigação criminal: a invocação de espíritos automaticamente impõe a possibilidade de possessão demoníaca.

1.

[O QUE É A NECROMANCIA?] É evocar os falecidos ou os espíritos, para interrogá-los. [...]

Parece-me que, para quem tem fé e recebeu o grande dom de conhecer as verdades reveladas, são bastante claros os motivos pelos quais a Bíblia, na sua totalidade, Antigo e Novo Testamentos, e a autoridade da Igreja, PROÍBEM TODAS AS FORMAS DE NECROMANCIA. Quem tem fé procura e encontra respostas às suas dúvidas nas palavras divinas. Deus falou. Querer procurar as verdades no mundo terreno, não se dirigindo a Deus, mas seguindo os desvios dos expedientes humanos, é uma culpa grave contra o primeiro mandamento, é mergulhar na superstição, é desviar-se da verdade para aderir ao erro. QUEM É QUE RESPONDE NAS SESSÕES DE EVOCAR OS MORTOS? Podem ser truques, sugestões, fenômenos paranormais, INTERVENÇÕES DIABÓLICAS... É por isso que as condenações da Bíblia são tão fortes: “Quem evocar os mortos é abominável para Deus” (cf. Dt. 18, 12). E igualmente claras são as condenações eclesiásticas. Limito-me a citar algumas: “NÃO É PERMITIDO PARTICIPAR, COM MÉDIUM OU SEM MÉDIUM, SERVINDO-SE OU NÃO DO HIPNOTISMO, EM SESSÕES OU MANIFESTAÇÕES DE ESPIRITISMO, MESMO QUE TENHAM APARÊNCIA HONESTA E PIEDOSA; QUER SE INTERROGUEM AS ALMAS OU OS ESPÍRITOS, QUER SE ESCUTEM AS RESPOSTAS; QUER MESMO SE LIMITEM A OBSERVAR” (Santo Ofício, 24 de abril de 1917).

É uma resposta particularmente completa e adequada ao nosso tempo. Por exemplo, quando diz “com médium ou sem médium”, parece antecipar os nossos dias, em que as sessões de evocar os mortos são, sobretudo, feitas mediante o “jogo” do copo ou da moeda, com o gravador, com a televisão, com o telefone, com o computador e, sobretudo, com a “psicografia”. E quando afirma “mesmo que tenham aparência honesta e piedosa”, parece prever certas formas e certos movimentos” [...].

Devo também avisar que A PARTICIPAÇÃO EM SESSÕES ONDE OS MORTOS SÃO EVOCADOS PODE PROVOCAR NÃO SÓ MALES PSÍQUICOS, COMO TAMBÉM PERTURBAÇÕES MALÉFICAS E A PRÓPRIA POSSESSÃO DIABÓLICA. [...]
GABRIELE AMORTH

in “Exorcistas e Psiquiatras”. Palavra & Prece: São Paulo, 2000. pp. 61; 62; 63; 70.

2.

. UM CRISTÃO PODE RECORRER A MÉDIUNS, CURANDEIROS, BRUXOS OU A CENTROS ESPÍRITAS PARA PEDIR AJUDA?

NUNCA [!], porque “TODA A ADIVINHAÇÃO É OBRA DOS DEMÔNIOS” e são “os anjos prevaricadores [...] que conferem à magia todo o poder que essa tem”. Na Sagrada Escritura DEUS PROÍBE EXPLICITAMENTE QUALQUER FORMA DE ADIVINHAÇÃO E MAGIA: “NÃO RECORRAIS AOS QUE EVOCAM OS ESPÍRITOS, nem consulteis os adivinhos, para não vos tornardes impuros. Eu sou o Senhor vosso Deus” (Lv. 19, 31). “Quando tiveres entrado na terra que o Senhor teu Deus te dá, não imites as práticas abomináveis dessas nações. Não haja em tem meio quem faça passar pelo fogo o filho ou a filha, nem quem consulte adivinhos, ou observe sonhos ou agouros, nem quem use a feitiçaria; nem quem recorra à magia, consulte oráculos, INTERROGUE ESPÍRITOS ou EVOQUE OS MORTOS. Pois O SENHOR ABOMINA QUEM SE ENTREGA A TAIS PRÁTICAS. É por tais abominações que o Senhor teu Deus deserdará diante de ti estas nações” (Dt. 18, 9-12). “O HOMEM OU A MULHER QUE EVOCAREM ESPÍRITOS OU PRATICAREM ADIVINHAÇÃO SERÃO MORTOS POR APEDREJAMENTO. SEU SANGUE CAIRÁ SOBRE ELES” (Lv. 20, 27).

. QUE FORMAS DE ADIVINHAÇÃO EXISTEM?

Existem muitas, as quais se podem agrupar em dois grandes tipos. “Um primeiro tipo é aquela forma de adivinhação em que se faz UMA INVOCAÇÃO OU PACTO EXPRESSO COM O DEMÔNIO, que SE DENOMINA GENERICAMENTE ESPIRITISMO (“necromantia”), e que SE DÁ QUANDO O DEMÔNIO ENSINA POR MEIO DE ADIVINHOS, [...] SOB A APARÊNCIA DE PESSOAS MORTAS OU VIVAS, ou por meio de outros sinais no ar, na água, no fogo ou nos espelhos. A outra forma de adivinhação é aquela na qual existe uma invocação ou um pacto APENAS TÁCITO [COM O DEMÔNIO], também designada por ADIVINHAÇÃO INTERPRETATIVA, na qual a partir das linhas do corpo, da voz, dos sons das aves e coisas semelhantes, nas quais o demônio muitas vezes interfere, se busca um conhecimento para o qual tais coisas são desproporcionadas”.

. ATUALMENTE, QUAL É A POSIÇÃO DA IGREJA CATÓLICA?

É A MESMA HÁ DOIS MIL ANOS [!]. Diz o CATECISMO: “Todas as formas de adivinhação hão de ser rejeitadas: RECURSO A SATANÁS OU AOS DEMÔNIOS, EVOCAÇÃO DOS MORTOS OU OUTRAS PRÁTICAS que erroneamente se supõe “descobrir” o futuro. A consulta aos HORÓSCOPOS, a ASTROLOGIA, a QUIROMANCIA, a INTERPRETAÇÃO DE PRESSÁGIOS E DA SORTE, os FENÔMENOS DE VISÃO, o RECURSO A MÉDIUNS escondem UMA VONTADE DE PODER SOBRE O TEMPO, SOBRE A HISTÓRIA E, FINALMENTE, SOBRE OS HOMENS, AO MESMO TEMPO QUE É UM DESEJO DE GANHAR PARA SI OS PODERES OCULTOS” [CIC 2116]. “Todas as práticas de magia ou de feitiçaria com as quais a pessoa pretende domesticar os poderes ocultos, para colocá-los a seu serviço e obter um poder sobrenatural sobre o próximo – MESMO QUE SEJA PARA PROPORCIONAR A ESTE A SAÚDE -, SÃO GRAVEMENTE CONTRÁRIAS À VIRTUDE DA RELIGIÃO. Essas práticas são ainda mais condenáveis quando acompanhadas de uma intenção de prejudicar a outrem, ou quando recorrem ou não à intervenção dos demônios” [CIC 2117].

. SENDO ASSIM, UM CRISTÃO NÃO PODE RECORRER À MAGIA PARA ALCANÇAR COISAS BOAS, TAIS COMO CURAR UMA DOENÇA, RESTABELECER A PAZ NUM CASAMENTO, ARRANJAR EMPREGO, OU TER UM FILHO?

NÃO [!], porque QUALQUER FORMA DE MAGIA OU ADIVINHAÇÃO IMPLICA SEMPRE EM UM PACTO COM O DEMÔNIO e “DE NENHUM MODO É LÍCITO AOS HOMENS RECORRER À AJUDA DOS DEMÔNIOS POR MEIO DE PACTOS TÁCITOS OU EXPRESSOS”.

PADRE DUARTE SOUSA LARA.
in “Demônio, exorcismo e oração de libertação em 40 questões”. Editora Canção Nova: São Paulo, 2014. pp. 61-63, questões 7, 8, 9, 10. 

II.

Trato aqui de pontuar mais algumas questões sobre as denúncias contra o médium João de Deus:

1. João de Deus diz que tem "Dom Inácio de Loyola" como "Entidade" que o "guia" em suas práticas e atividades. Seria o próprio Santo Inácio de Loyola, que inclusive dá nome à "Casa" onde o médium realiza os seus atendimentos. Ocorre que Santo Inácio foi o fundador da Companhia de Jesus, uma ordem católica criada com o propósito de fidelidade estrita ao Santo Padre, o Papa, e formação de autênticos "soldados de Cristo" que pudessem defender a Santa Igreja, combatendo sobretudo os hereges em seus erros e desvios. Sendo assim, João de Deus - e a sua atividade espírita - contrariam o próprio Santo Inácio de Loyola e a Santa Igreja à qual ele jurou fidelidade. 

2. João de Deus ostenta imagens da Santíssima Virgem Maria - Mãe da Igreja. Uma delas é de Nossa Senhora de Fátima, que pediu em Portugal que todos se convertessem (!) - evidentemente à Santa Igreja Católica - e disse: "É preciso que se emendem, que peçam perdão dos seus pecados" [...] "Não ofendam mais a Deus Nosso Senhor que já está muito ofendido". Em La Salette, a Mãe de Deus foi bastante clara: [...] "Lúcifer e um grande número de demônios serão soltos do inferno. Eles abolirão a fé pouco a pouco, até nas pessoas consagradas a Deus. Eles as cegarão de tal maneira que, salvo uma graça particular, adquirirão o espírito desses maus anjos. Várias casas religiosas perderão inteiramente a fé e perderão muitas almas". [...] “EXISTIRÃO IGREJAS PARA CULTUAR ESSES ESPÍRITOS. Pessoas serão transportadas de um lugar a outro por esses espíritos maus, até sacerdotes, porque não se terão conduzido pelo bom espírito do Evangelho, que é um espírito de humildade, caridade e ZELO PELA GLÓRIA DE DEUS". [...] “Os governantes civis terão todos um mesmo objetivo, que consistirá em abolir e fazer desaparecer todo princípio religioso para dar lugar ao materialismo, ao ateísmo, ao ESPIRITISMO e a toda espécie de vícios [2].

3. Em "nota" anterior, observei que a invocação de espíritos impõe automaticamente a possibilidade de possessão demoníaca - no caso, a de João de Deus. Possibilidade que se abre também aos frequentadores da Casa, sessões e atendimentos do médium [3]. Dessa forma, homens que exercem uma atividade pública estiveram expostos a esse tipo de influência diabólica (chamo a atenção para o termo utilizado - "expostos" - pois não estou afirmando a influência ou a possessão, mas apontando, no mínimo, a "exposição"). Entre eles, Lula e Dilma - "consagrados" pela nefasta Teologia da Libertação; Michel Temer - associado à Maçonaria; o ministro Luis Roberto Barroso, do STF (conduzido pelo ex-ministro Carlos Ayres Britto); Paulo Skaf, etc., etc [4]. Todos se submeteram às práticas e "guiamentos" do médium João de Deus. 
______

[...] "se, por um lado, É FALSO NEGAR A EXISTÊNCIA DE SATANÁS, TAMBÉM É ERRÓNEO, segundo a opinião mais seguida, AFIRMAR A EXISTÊNCIA DE OUTRAS FORÇAS OU ENTIDADES ESPIRITUAIS, IGNORADAS NA BÍBLIA e INVENTADAS PELOS ESPÍRITAS, pelos que cultivam as CIÊNCIAS ESOTÉRICAS OU OCULTAS, pelos ADEPTOS DA REENCARNAÇÃO ou pelos que defendem a EXISTÊNCIA DE 'ALMAS ERRANTES'. NÃO EXISTEM ESPÍRITOS BONS FORA DOS ANJOS: NEM EXISTEM ESPÍRITOS MAUS FORA DOS DEMÓNIOS. As almas dos defuntos vão logo para o Paraíso, ou para o Inferno ou para o Purgatório, como foi definido nos dois Concílios (Lyon e Florença). OS DEFUNTOS QUE SE APRESENTAM NAS SESSÕES DE ESPIRITISMO, OU AS ALMAS DOS DEFUNTOS PRESENTES NOS SERES VIVOS, PARA OS ATORMENTAR, NÃO SÃO SENÃO DEMÓNIOS. As raríssimas exceções permitidas por Deus, são exceções que confirmam a regra". [...]

in AMORTH, Gabriele. "Um exorcista conta-nos". Paulinas: Lisboa, 2012 (8a. ed.). p. 36.

III.

Uma consideração a mais sobre as denúncias que envolvem o médium João de Deus. Aqui concentro-me em uma justificativa que já ouvi e li - de cristãos de boa-fé - para distanciar o acusado dos espíritas como um todo. Uma justificativa bastante conhecida: a das "obras de caridade". 

"Os espíritas fazem muitas obras sociais", "os espíritas ajudam muita gente", etc., etc. Sim, é verdade que os espíritas fazem muitas "obras", e é verdade também que a obra de caridade é em si uma coisa boa. No entanto, ela - a obra de caridade - não pode ser o critério último para atestar uma prática ou ação, sobretudo no âmbito da fé. Dou um exemplo que pode a princípio ser visto como exagerado, mas ao qual se aplica um princípio fundamental. A "Church of Satan" também faz determinadas obras de caridade. Porém, é preciso no mínimo especular, tomando um horizonte mais amplo: como a "Igreja de Satanás" conduz e coloca as pessoas envolvidas e beneficiadas pelas obras diante da eternidade? 

A mesma pergunta deve ser feita com relação ao Espiritismo ou, de forma mais apropriada, com relação ao espírita em pessoa. Sabe-se - por meio da experiência e do testemunho de autoridades eclesiásticas - que a invocação de espíritos expõe tanto o médium quanto o seu eventual "paciente" a influências maléficas e à possessão demoníaca [5]. Quanto ao juízo referente a tal prática, ele é bastante claro: “Não recorrais aos que evocam os espíritos, nem consulteis os adivinhos, para não vos tornardes impuros. Eu sou o Senhor vosso Deus” (Lv. 19, 31); “Quando tiveres entrado na terra que o Senhor teu Deus te dá, não imites as práticas abomináveis dessas nações. Não haja em teu meio quem faça passar pelo fogo o filho ou a filha, nem quem consulte adivinhos, ou observe sonhos ou agouros, nem quem use a feitiçaria; nem quem recorra à magia, consulte oráculos, interrogue espíritos ou evoque os mortos. Pois o Senhor abomina quem se entrega a tais práticas. É por tais abominações que o Senhor teu Deus deserdará diante de ti estas nações” (Dt. 18, 9-12). 

Ademais. É preciso considerar que a obra de caridade supre uma necessidade temporal; mas o que está em jogo é a eternidade - dado o contexto acima, determinada obra pode conduzir a uma situação de risco a pessoa e o seu "futuro" eterno. Por isso, é importante recordar a lição do Papa Bento XVI, que não hesitou em afirmar: “Só na verdade é que a caridade refulge e pode ser autenticamente vivida. A verdade é luz que dá sentido e valor à caridade. Esta luz é simultaneamente a luz da razão e a da fé” [6].

Enfim, óbvio que nem todo médium - ou espírita - é um abusador sexual. Mas, é evidente que, se João de Deus - por conta da própria natureza da prática de invocar e de se submeter a espíritos - pode ter sido exposto à influência maléfica e à possessão demoníaca, da mesma forma se expõe todo e qualquer espírita, e todas as pessoas que de alguma forma se aproximam dessa prática [7].   

IV.

Para recordar o Catecismo da Igreja Católica frente à polêmica envolvendo João de Deus e o Espiritismo. Não se trata pura e simplesmente de invocar a autoridade, que muitos tendem a ver como determinação "arbitrária" ou mesmo expressão de "preconceito" e "intolerância". Sim, é autoridade e determinação. Mas, como ficou claro na exposição das "notas" anteriores, elas - autoridade e determinação - são justificadas pelos efeitos reais e concretos decorrentes da prática da invocação de espíritos, para a proteção da pessoa contra a influência e ação de entidades espirituais e principalmente da sua salvação eterna.   

"Todas as formas de adivinhação devem ser rejeitadas: recurso a Satanás ou aos demónios, EVOCAÇÃO DOS MORTOS ou outras práticas supostamente 'reveladoras' do futuro. A consulta dos horóscopos, a astrologia, a quiromancia, a interpretação de presságios e de sortes, os fenómenos de vidência, O RECURSO AOS 'MÉDIUNS', tudo isso encerra uma vontade de dominar o tempo, a história e, finalmente, os homens, ao mesmo tempo que é um desejo de conluio com os poderes ocultos. TODAS ESSAS PRÁTICAS ESTÃO EM CONTRADIÇÃO COM A HONRA E O RESPEITO, PENETRADOS DE TEMOR AMOROSO, QUE DEVEMOS A DEUS E SÓ A ELE. 

"Todas as práticas de magia ou de feitiçaria, pelas quais se pretende domesticar os poderes ocultos para os pôr ao seu serviço e obter um poder sobrenatural sobre o próximo – AINDA QUE SEJA PARA LHE OBTER A SAÚDE– são gravemente contrárias à virtude de religião. Tais práticas são ainda mais condenáveis quando acompanhadas da intenção de fazer mal a outrem ou quando recorrem à intervenção dos demónios. O uso de amuletos também é repreensível. O ESPIRITISMO IMPLICA MUITAS VEZES PRÁTICAS DIVINATÓRIAS OU MÁGICAS; POR ISSO, A IGREJA ADVERTE OS FIÉIS PARA QUE SE ACAUTELEM DELE. O recurso às medicinas ditas tradicionais não legitima nem a invocação dos poderes malignos, nem a exploração da credulidade alheia".

CIC, 2116, 2117.

V.

Espíritas afirmam que o Espiritismo não é propriamente uma "religião": o Espiritismo é uma "ciência". Essa afirmação tem o mesmo valor da de Karl Marx, que proclamou ser o seu o único socialismo "cientifico" - isto é, não tem valor algum. Trata-se apenas de valer-se do efeito hipnótico que o termo "ciência" exerce sobre a mente e o imaginário das pessoas e, com isso, tornar aceitável - e publicamente respeitável - o Espiritismo. Mas há - e os próprios espiritas estão de acordo - uma distinção fundamental entre o método científico, a ciência experimental que exerce um certo apelo sobre as pessoas, e a chamada "Ciência espírita". Fato é que a associação à "ciência" deu ao Espiritismo uma certa reputação pública. Creio que muita gente já ouviu por aí considerações do tipo: "os espíritas são pessoas inteligentes", "os espíritas são cultos", etc., etc. Claro, o propósito aqui não é discutir se os espíritas são mesmo "inteligentes" e "cultos". A questão é outra: refere-se ao uso no mínimo inapropriado do termo "ciência" e dos efeitos dessa utilização sobre o imaginário das pessoas e na construção da imagem pública do Espiritismo. Muitos cristãos se deixam impressionar, e até mesmo intimidar. Por isso, o trecho de uma homilia de São João Paulo II, na Ilha de São Vicente, Cabo Verde, em 1990, antes de ser uma análise "científica" da questão, tem o valor de despertar o católico da hipnose: 

"O Cristianismo é força dos humildes que sabem ser simples; NÃO É UMA RELIGIÃO PARA GENTE SEM CULTURA OU ATRASADA. Toda a sua força revolucionária está no Amor gratuito, que brota do coração de Cristo, que nos transforma a todos em apóstolos e “pescadores de homens” (Mc 1, 17). Somente na adesão simples e cordial a esse mistério, que exige de nós fidelidade humilde e corajosa, poderemos encontrar a luz para NÃO CEDER DIANTE DO FÁCIL E ALICIANTE ENGODO das seitas e do ESPIRITISMO" [8].

[antes] "Colocai sempre acima de todos os vossos desejos e propósitos Jesus Cristo 'Nosso Salvador'. Seja sempre Ele, o Filho de Deus, o centro da vossa experiência e o horizonte dos projectos da vossa sociedade, que, na sua grande maioria, se diz católica. EM MOMENTOS DE DESORIENTAÇÃO CULTURAL E MORAL, como se verifica em tantas partes do mundo e, talvez também aqui, neste vosso dilecto País, QUE JAMAIS SE DEBILITEM AS RAZÕES FUNDAMENTAIS DE VOSSO SER CRISTÃO. Não hesiteis em sacrificar tudo para permanecerdes fiéis a Cristo. LUTAIS CONTRA O INDIFERENTISMO RELIGIOSO, PERIGOSA TENTAÇÃO DOS TEMPOS MODERNOS! Não vos deixeis encadear pelo mito do progresso económico! Resisti à tentação de abandonar a prática religiosa, quando vos pressionarem ou começarem a preocupar demasiado interesses materiais, o êxito ou a subida na profissão E NA ESTIMA SOCIAL. Aliás, O EVANGELHO NÃO É CONTRÁRIO AO PROGRESSO DO HOMEM, desde que se trate de VERDADEIRO PROGRESSO, DAQUELE QUE NÃO DESCURA NENHUM ASPECTO DA PESSOA HUMANA e tem em vista o seu desenvolvimento integral e harmonioso".

[...] "'Tu és Cristo, o Messias, o Filho do Deus vivo (Cfr. Mt 16, 16).

"Foi uma confissão que teve a sua origem em Deus: é a verdade que provém do próprio Deus, a profissão de fé; 'não foram a carne nem o sangue que te revelaram, mas sim meu Pai que está nos céus' ( Mt 16, 17), DISSE JESUS, CONFIRMANDO A VERDADE da confissão de Pedro.

"SOBRE ESTA CONFISSÃO SE APOIA A IGREJA, como sobre UMA ROCHA. E Pedro, segundo as palavras de Cristo, tornou-se essa mesma rocha: 'E eu também te digo: tu és Pedro e SOBRE ESTA PEDRA EDIFICAREI A MINHA IGREJA e AS PORTAS DO INFERNO NÃO PREVALECERÃO CONTRA ELA' (Mt 16, 18)". [...]

"Ao professar a nossa fé em Cristo, Filho Unigénito de Deus, consubstancial ao Pai, nós proclamamos a glória de Deus; e, ao mesmo tempo, anunciamos A SALVAÇÃO QUE O PRÓPRIO DEUS REVELOU À HUMANIDADE EM JESUS CRISTO.

"A IGREJA É SACRAMENTO DESTA SALVAÇÃO, pois o Senhor disse a Pedro: “Dar-te-ei as chaves do Reino dos Céus e tudo o que ligares na Terra ficará ligado nos Céus e tudo o que desligares na Terra ficará desligado nos Céus” (Mt 16, 19). Em virtude disto, A IGREJA É SACRAMENTO DE SALVAÇÃO ETERNA: A IGREJA, SERVA PARA TODOS OS HOMENS E POVOS". [...] [9]


REFERÊNCIAS.

[1]. "Memórias da Irmã Lúcia". Secretariado dos Pastorinhos: Fátima, Portugal. 13a ed., 2007. pp. 180-181.

[2]. Michel Corteville – René Laurentin. Trad. Luis Dufaur. 

[3]. Cf. [http://bit.ly/2Ed5S4B]. 

[4]. Cf. "De Ophrah a Dilma, políticos e famosos frequentaram casa de médium João de Deus". Folha de São Paulo, 09 de dezembro de 2018 [https://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2018/12/de-temer-a-oprah-politicos-e-famosos-frequentaram-casa-de-medium-joao-de-deus.shtml].



[7]. Cf. referência [1].


[9]. idem.      

No comments: