Sunday, May 27, 2012

A Nova Democracia.


Bruno Braga.


Em um ato em favor da revisão da lei da anistia, no início do mês (Maio/2012), recebi em mãos um jornal chamado “A Nova Democracia”. Embora se autodefina como uma publicação que “não é órgão de nenhum partido”, trata-se de um jornal revolucionário [1]. A edição ultrapassada, de Março (2012 – Ano 10 – N. 87), trazia um erro injustificável.

A reportagem assinada por Patrick Granja – “Segue o covarde ataque aos moradores do Pinheirinho”, p. 05 – informa que Ivo Teles dos Santos, dado como desaparecido depois da reintegração de posse do Pinheirinho, havia sido encontrado:

Muito machucado, o senhor de 73 anos foi encontrado no Hospital municipal de São José dos Campos depois de ter sido espancado por policiais (os grifos são meus).

Acontece que a Prefeitura de São José dos Campos emitiu uma nota sobre o estado de saúde de Ivo, na qual esclarece: ele foi admitido, sim, no Hospital Municipal, mas com crise hipertensiva; uma tomografia realizada no paciente evidenciou um AVCH (Acidente Vascular Cerebral Hemorrágico) com desvio da linha média; Ivo Teles dos Santos é um paciente crônico de hipertensão e fazia acompanhamento regular na UBS do Residencial União fazia uso regular do medicamento Ceptopril; não havia no paciente, qualquer sinal de traumatismo craniano, exceto o da incisão realizada na cirurgia para drenar o hematoma provocado pelo AVCH (os grifos são meus) [2].

De acordo com a nota da Prefeitura de São José dos Campos, e dos boletins médicos, portanto, Ivo Teles não foi espancado pela Política.

A nota da Prefeitura está registrada com a data de 04 de Fevereiro. Ela é anterior à edição do jornal “A Nova Democracia” – como acima indicado, de Março de 2012. Mesmo com o erro, o jornal continuou sendo distribuído até Maio, quando o recebi em mãos: três meses após os esclarecimentos médicos. Portanto, não houve qualquer preocupação com o fato de transmitir uma informação publicamente desmentida – se o propósito era contestar os laudos oficiais, não houve sequer o procedimento jornalístico de citá-los.

Não é possível acertar definitivamente a má-fé da publicação ou a do jornalista que redigiu a reportagem – nem o charlatanismo de quem ainda distribuía em Maio um conteúdo desmentido. No entanto, a inversão que antepõe a Ideologia à descrição dos fatos está posta no próprio título da publicação – “A Nova Democracia”, que faz apologia do comunismo chinês e soviético, os regimes mais opressores e genocidas da história da humanidade.


(*) Nota. Ivo Teles dos Santos faleceu no dia 09 de Abril, segundo boletim médico, por falência múltipla dos órgãos.  


Referências.



No comments: