Friday, June 22, 2012

Tarso, educação e poesia.


Bruno Braga.


Preocupadíssimo com a educação em seu Estado, o ilustre Governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, decidiu reativar as Escolas Itinerantes do Movimento Sem Terra (MST) em 2011 [1].
Dizer que o fracasso da Educação brasileira se deve, exclusivamente, à falta de dinheiro é maquiar uma causa anterior que aparece refletida nos próprios responsáveis por ela.

Um país que, sem pudor, proclama Paulo Freire como o patrono da educação exibe publicamente o seu horizonte intelectual. O mesmo das instituições de Ensino Superior que concedem o título de Doutor Honoris Causa ao ex-presidente Lula que confessa, não consegue ler muitas páginas porque a leitura lhe dá sono – e ainda se vangloria, gosta mesmo é de “televisão”, de “bobagem” para “limpar a cabeça” (Rádio Tupi, 2009).

Este é o apreço pelo conhecimento que demonstra a Presidente Dilma Rousseff. Ela não é capaz sequer de se lembrar do livro que concluiu na noite anterior e que a “impactou muito” – se é que leu mesmo o tal livro, Dilma foi salva por uma assessora:


É o legado admirável de Fernando Haddad, para o ex-presidente e Doutor Honoris Causa o melhor Ministro da Educação da história. A admirável obra de Haddad: um “Kit gay” para o Ensino Fundamental – isto é, para crianças de 11 anos.

O Sr. Tarso Genro apenas segue uma tradição. Do alto de sua estratosférica sabedoria, ele acredita na formação de crianças, jovens e adultos nas Escolas do MST. Na instrução – “conscientização” – da “luta de classes”, na opressão do intelecto por um sem número de estereótipos ideológicos e no engessamento que eles produzem na consciência moral. Em outras palavras, o Sr. Tarso quer fazer de si mesmo um modelo para a educação – assim, quem sabe, os seus pupilos poderão alcançar o status dele na nobre cultura das Letras, com a qual contribui cantando em versos a homenagem masturbatória à amada:

Quanto te esperei e quanto sêmen
Inútil derramei até o momento.

“Expressão poética” de importância reconhecida pela Academia Rio Grandense de Letras:

 

Referências.

[1]. Cf. Secretaria da Educação do RS [http://www.educacao.rs.gov.br/pse/html/noticias_det.jsp?ID=6314].

Sugestões de leitura.

No comments: