Tuesday, February 05, 2013

(P)ar(T)ido abortista.


Bruno Braga.


O aborto não é apenas uma convicção pessoal – ou obsessão mórbida - da Presidente Dilma Rousseff e de sua subordinada, a Ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres, Eleonora Menicucci. A legalização do aborto no Brasil é parte do programa de um partido – do Partido dos Trabalhadores (PT).

Em 2007, o PT promoveu em São Paulo o 3o Congresso Nacional do partido, “PT, 27 anos com o Brasil”, no qual reafirmou as suas raízes e o seu funesto projeto de poder, o “Socialismo petista” [1]. Entre as resoluções aprovadas durante o Congresso, uma, intitulada “Por um Brasil de mulheres e homens livres e iguais”, define diretrizes sobre aborto [2]. Sobre os falsos princípios da “autonomia das mulheres sobre o seu corpo e sua sexualidade” e o da “autodeterminação das mulheres” – que concederiam à gestante, de forma autocontraditória, o poder de sentenciar à morte uma vida que não é a sua própria - o PT estabelece o seu projeto: “DISCRIMINALIZAÇÃO DO ABORTO E REGULAMENTAÇÃO DO ATENDIMENTO À (sic) TODOS OS CASOS NO SERVIÇO PÚBLICO EVITANDO ASSIM A GRAVIDEZ NÃO DESEJADA” [...]. É o que dispõe o documento (os destaques em vermelho são meus).



Junto com o número da página da resolução o PT sela o aborto como item de seu programa nacional. Com a estrela vermelha Socialista-Comunista o partido proclama: “O Brasil que queremos”. O “Socialismo petista” – em seu ambicioso projeto de poder e de engenharia social – é abortista.    


Notas.


[2]. Cf. Resolução do 3o Congresso Nacional do Partido dos Trabalhadores (PT), 2007. Documento PDF extraído do próprio site do partido [http://www.pt.org.br/arquivos/Resolucoesdo3oCongressoPT.pdf]. p. 82.

Leituras sugeridas e material para estudo.

BRAGA, Bruno. “A investida abortista” [http://b-braga.blogspot.com.br/2012/07/a-investida-abortista_27.html].

Documentários.





3 comments:

Jaque Tolomelli said...

Bruninho, não sei se cheira a Engenharia Social ou controle de natalidade legalizada, mas acho que dá na mesma, rs,

Enfim, lamento sempre pela criança. Impedir de ser é pior que destruir o que já se é. O que já se é pelo menos teve a oportunidade de ser.

O aborto é um crime contra a essência a meu ver, mas enfim...boa semana.

Jaque

Bruno Braga said...

Oi, Jaque!

Muito obrigado pelo comentário.

Faço apenas uma observação. O aborto é um crime porque é cometido – não contra o que aguarda a oportunidade de “ser”, como você considerou -, mas contra o que já [É]. O aborto é o assassinato de um [SER].

Abraço, Jaque.
Bruno.

Jaque Tolomelli said...

Verdade, Bruno.

Eu ser que não tem nem como se defender.

Lamentável!