Tuesday, April 01, 2014

50 anos da intervenção militar - pesquisa mutilada.

Bruno Braga.



No dia que marcou os 50 anos da intervenção militar no Brasil, um dado fornecido pelo instituto de pesquisa Datafolha foi repetido e destacado à exaustão: 46% dos brasileiros apoiam a anulação da Lei da Anistia [1].

 

Exemplo. Portal G1 (o destaque em vermelho é meu).
 
Destacar este dado em um contexto de maciça publicidade revolucionária – com décadas de uma falsificação da história ditada nas universidades e nas escolas, consagrada pela imprensa e repetida por “intelectuais” e formadores de opinião - significa alarmar o público leitor para o fato de que uma parcela significativa da população exige punição para os militares.
 
No entanto, um item da pesquisa Datafolha – diretamente relacionado à informação apresentada – é OMITIDO.
“INFORMADOS de que são acusados de tortura, assassinato e sequestro TANTO membros do governo, que defendiam o regime militar, QUANTO militantes de esquerda, que combatiam o regime militar, 80% DOS FAVORÁVEIS À REVISÃO DA LEI DA ANISTIA avaliam que DEVERIAM SER JULGADOS por crimes TANTO ex-membros do governo QUANTO MILITANTES DA ESQUERDA que tenham cometido crimes” (p. 05 – os destaques são meus).
Isto quer dizer que a maioria esmagadora dos que são favoráveis à revisão da Lei da Anistia – 80%, sim, 80% -, quando é INFORMADA que os militantes de esquerda cometeram crimes, afirma que eles - os revolucionários – DEVEM SER JULGADOS como os militares. Portanto, este item da pesquisa diminui a importância dada àquela informação inicial; compromete o efeito persuasivo que se quis gerar ao destacá-la. E mais. Demonstra que a população se oporia à diretriz dada à Comissão da Verdade se soubesse qual é de fato o seu propósito: sob o pretexto de investigar as violações dos direitos humanos durante o Regime Militar, promover a autoglorificação revolucionária e consagrar uma MENTIRA como a história oficial do país. E recusaria a própria revisão da Lei da Anistia, sabendo que ela é uma proposta forjada pelos próprios militantes da esquerda para punir somente os militares.
 
Enfim, a FALSIFICAÇÃO da história é reforçada pela OCULTAÇÃO ardilosa. Porque se a população souber dos CRIMES cometidos por aqueles que são apresentados como “heróis da nação”; se souber que eles não combatiam o Regime Militar coisíssima nenhuma, mas lutavam antes mesmo que ele fosse instaurado para transformar o Brasil em uma República SOCIALISTA-COMUNISTA, com o apoio, financiamento e armas de agentes internacionais – ela exigirá JULGAMENTO para eles também. Mas nada disso foi abordado no dia 31 de Março. É uma amostra de que a “conscientização” que estes mesmos “idealistas” pregam para a “libertação do povo” é uma FARSA. Eles de fato se sustentam na MENTIRA e constroem o seu poder na ignorância da população.
 

NOTAS.
 
[1]. Datafolha, 31 de Março de 2014, “Democracia e Ditadura”.
 
 

No comments: