Saturday, September 26, 2015

Raúl Castro dá ao Papa uma "calurosa bienvenida" comunista.

Bruno Braga.
 



Francisco deixou Cuba no dia 22 de Setembro. A visita do Papa à ilha caribenha era aguardada com expectativa, e não só pelo objetivo apostólico, mas por ter sido o Pontífice uma espécie de "intermediário" na tão propagandeada "aproximação" entre Cuba e os Estados Unidos.

Raúl Castro deu a "más calurosa bienvenida" a Francisco [1]. Mas, diante do Papa, o Presidente cubano - para contrariar os que ainda creem numa "abertura" do regime totalitário - reafirmou o compromisso com a ditadura comunista:

"Avançamos resolutamente na ATUALIZAÇÃO de nosso modelo econômico e social para construir um SOCIALISMO próspero e sustentável" [...] "PRESERVAR O SOCIALISMO é garantir a independência, soberania, desenvolvimento e bem-estar da Nação" [2].

O irmão de Fidel ainda fez uma alusão importante:

"Os povos da América Latina e do Caribe avançam até sua INTEGRAÇÃO" [...] "A unidade, identidade e INTEGRAÇÃO REGIONAL devem ser defendidas" [3].

"Integração" é uma referência ao processo estratégico de transformar a América Latina na imensa "Patria Grande" comunista. Um projeto de poder totalitário e criminoso, traçado e promovido pelo Foro de São Paulo - organização fundada por Lula e por Fidel Castro - e por outras instâncias associadas, como a UNASUL, CELAC, ALBA, o BRICS [4].

Na presença do Papa, Raúl Castro reafirmou a "devoção" ao totalitarismo comunista. E mais. Mentiu na cara do Pontífice para maquiar o caráter opressor do regime cubano: "Exercemos a liberdade religiosa como direito consagrado em nossa Constituição" [5].

A Constituição de Cuba reza:

Art. 55. O Estado, que reconhece, respeita e garante a liberdade de consciência e de religião, reconhece, respeita e garante ao mesmo tempo a liberdade de cada cidadão para mudar de crença religiosa ou não ter nenhuma, e a professar, dentro do respeito à lei, o culto religioso de sua preferência [6].

No entanto, a própria Constituição adverte:

Art. 62. Nenhuma das liberdades reconhecidas aos cidadãos [o que inclui a suposta "liberdade religiosa"] pode ser exercida contra o estabelecido na Constituição e nas leis, NEM CONTRA A EXISTÊNCIA E FINS DO ESTADO SOCIALISTA, nem contra a decisão do povo cubano de CONSTRUIR O SOCIALISMO E O COMUNISMO.
A infração deste princípio é punível [7].

Na visita do Papa, o regime cubano tratou de cumprir à risca o que está estabelecido na sua Constituição. Os opositores foram vigiados, receberam ameaças e - com Francisco na ilha - foram presos. A denúncia é do "Movimiento Cristiano Liberación":

"Rosa María Rodriguez, membro do Conselho Coordenador do 'Movimiento Cristiano Liberación' foi detida hoje, 20 de Setembro, às 7 da manhã, em Havana, QUANDO SE DIRIGIA À MISSA QUE O PAPA IA CELEBRAR na Praça José Martí da capital cubana".

[...]

"Muitos são os dissidentes PRESOS, AMEAÇADOS ou IMPEDIDOS de ASSISTIR AOS ENCONTROS E MISSAS QUE O PAPA FRANCISCO ESTÁ REALIZANDO EM CUBA, e se espera que essa escalada repressiva continue" [8].

Carlos Payá, do "Movimiento Cristiano de Liberación", fala sobre as detenções dos opositores durante a visita do Papa Francisco a Cuba. Cf. [http://www.rtve.es/alacarta/videos/los-desayunos-de-tve/desayunos-200915-0830/3293424/] - a partir do tempo [44:25] [9].

"Liberdade religiosa", portanto, apenas para os que fecham os olhos ou se calam diante da opressão do regime comunista. Ou para os que se "convertem" a uma "fé" corrompida e desfigurada pela Teologia da Libertação [10]. Não a da Santa Igreja Católica, mas a que respeita o artigo 62 da "tábua da lei" cubana e o seu "mandamento": "construir o socialismo e o comunismo". Tudo pela imposição de um "reino" totalitário na Terra, com o sangue dos cristãos fuzilados no paredão, com a falsificação e a intrumentalização da fé e da própria Igreja.

O que Francisco pensou ao ouvir o discurso de Raúl Castro? Somente o Papa pode revelar. No entanto, é inegável que recebeu a "más calurosa bienvenida" de um farsante, que confessa o compromisso com a preservação de um regime totalitário e opressor, que finge a existência de "liberdade religiosa" em Cuba para promover a sua verdadeira "profissão de fé": transformar a América Latina na imensa "Patria Grande" comunista [11].


ANEXO.

Polícia cubana prende opositores que tentaram se aproximar do Papa Francisco.


REFERÊNCIAS.

[1]. Cf. "En nombre de este noble pueblo, le doy la más calurosa bienvenida". Granma, 19 de Setembro de 2015 [http://www.granma.cu/papa-francisco-en-cuba/2015-09-19/raul-castro-en-nombre-de-este-noble-pueblo-le-doy-la-mas-calurosa-bienvenida].

[2]. Idem.

[3]. Idem.

[4]. Cf. "Foro de São Paulo: a confabulação comunista no México" [http://b-braga.blogspot.com.br/2015/08/foro-de-sao-paulo-confabulacao.html]; "A 'prestação de contas" do ex-Secretário do Foro de São Paulo" [http://b-braga.blogspot.com.br/2015/05/a-prestacao-de-contas-do-ex-secretario.html]; "Foro de São Paulo: a gênese criminosa da 'Patria Grande' comunista" [http://b-braga.blogspot.com.br/2015/08/foro-de-sao-paulo-genese-criminosa-da.html].

[5]. Idem.

[6]. Cf. "Constitución de la Republica de Cuba" [http://www.cuba.cu/gobierno/cuba.htm].

[7]. Idem. A observação entre colchetes é minha.

[8]. Cf. "Comunicado de Prensa del Movimiento Cristiano Liberación" [http://www.oswaldopaya.org/es/2015/09/21/comunicado-de-prensa-del-movimiento-cristiano-liberacion/].

[9]. RTVE - Espanha. apud. "Movimiento Cristiano Liberación" [http://www.oswaldopaya.org/es/2015/09/21/television-espanola-carlos-paya-mcl-detenciones-durante-visita-del-papa/] (Fonte da imagem utilizada na publicação).

[10]. Cf. "Francisco: Fidel e a Religião" [http://b-braga.blogspot.com.br/2015/09/francisco-fidel-e-religiao.html].

[11]. Cf. "Foro de São Paulo: a gênese criminosa da 'Patria Grande' comunista" [http://b-braga.blogspot.com.br/2015/08/foro-de-sao-paulo-genese-criminosa-da.html].


LEITURA RECOMENDADA.

No comments: