Sunday, July 24, 2016

A Teologia da Libertação gayzista.

Bruno Braga.


Porto Alegre abrigou, em 2005, o II Fórum Mundial de Teologia da Libertação - evento vinculado à realização do Fórum Social Mundial. Uma palestra parece ter chamado a atenção do público: a do já falecido Otto Maduro. O filósofo venezuelano conclamou - com uma abordagem "crítica" inclusive dos regimes socialistas-comunistas - uma espécie de "atualização" da teologia revolucionária, e exigiu: 
"Uma teologia ousadamente libertadora tem que envolver o tema da homossexualidade e da homofobia" [1].
A Teologia da Libertação, não é segredo para mais ninguém, não é propriamente uma "teologia", mas uma arma comunista de conquista política [2]. Por isso, no discurso de Otto Maduro, a "homossexualidade" e a "homofobia" estão aparentemente em primeiro plano; a questão principal, contudo, é a transformação da sexualidade em "causa" - claro, dentro da chave da "luta de classes", do conflito entre "oprimido", "excluído" e "opressor", como se faz com o "povo", com o "trabalhador", "operário", "indígena", "sem-terra", "sem-teto", e tantos outros tipos modelados com "vitimização" para criar mais uma força mobilizadora e útil para o movimento revolucionário. É nesta perspectiva que se costura a bandeira LGBT-gayzista. 

O método de ação é conhecido: inocular a "causa" dentro da Igreja Católica com agentes em todos os setores e níveis - comprometidos diretamente ou como "companheiros de viagem" - distorcer a fé e instrumentalizá-la, construindo uma plataforma de promoção de lideranças e de disseminação de propostas de engenharia social e comportamental, enquanto, simultaneamente, a moral cristã, um dos pilares de resistência e oposição, é corrompida. 

O Fórum Social Mundial é dado como um "contraponto" ao Fórum Econômico de Davos; porém, ele é um braço do Foro de São Paulo [3]. A Teologia da Libertação, tida como "teologia" genuinamente latino-americana, é na verdade um engodo inventado para assaltar a Igreja Católica. Fórum Social Mundial e Teologia da Libertação têm em comum o caráter "instrumental": são criações dos comunistas para favorecerem o seu amplo e ambicioso esquema de poder.

O vínculo do Fórum Mundial de Teologia da Libertação com o Fórum Social Mundial é ainda mais forte. Quem o assume é Leonardo Boff, celebre "apóstolo" da teologia revolucionária e do Foro de São Paulo [4]:
[...] "Nos anos 70 se organizaram os primeiros Fóruns Mundiais de Teologia da Libertação" [...] "Com o surgimento dos Fóruns Sociais Mundiais a partir de 2001 encontrou-se o espaço público para a continuação destes encontros globais" [5].
Os "apóstolos" da Teologia da Libertação tiveram uma atuação conhecida nas revoluções culturais e sexuais de décadas passadas. Para os "descrentes", que viram nisso somente atos de "rebeldia", a declaração de Otto Maduro, em Porto Alegre, é uma amostra de compromisso efetivo - agora com a militância LGBT-gayzista. Uma iniciativa estratégica, dentro de uma organização integrada ao Fórum Social Mundial - um centro de planejamento e ação de "movimentos" ditos "sociais", que têm vários núcleos pelo país. Passados mais de dez anos, qualquer um com um mínimo de percepção e discernimento é capaz de reconhecer o amadurecimento daquela proposta como questão comportamental - quem sabe dentro da sua própria paróquia [6]. Como ferramenta especificamente política, não é preciso muito empenho, basta ver como "homossexualidade" e "homofobia" estão sendo utilizadas até mesmo para defender o mandato da Presidente petista e fantoche do Foro de São Paulo, Dilma Rousseff. Uma das "trincheiras" é a Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados, comandada por um "apóstolo" da Teologia da Libertação [7].   


REFERÊNCIAS.

[1]. "Teologia gay é tratada no Fórum Mundial de Teologia da Libertação", Adital, 25 de Janeiro de 2005 [http://www.adital.com.br/site/noticia2.asp?lang=PT&cod=15127].

[2]. Cf. PACEPA, Ion Mihai. "A KGB criou a Teologia da Libertação" [http://b-braga.blogspot.com.br/2015/01/a-kgb-criou-teologia-da-libertacao.html]. Tradução do Capítulo "Liberation Theology" (15), que é parte do livro "Disinformation": former spy chief reveals secret strategis for undermining freedom, attacking religion, and promoting terrorism (WND Books: Washington, 2013); "As raízes secretas da teologia da libertação". Trad. Ricardo R. Hashimoto. Mídia Sem Máscara, 11 de Maio de 2015 [http://www.midiasemmascara.org/artigos/desinformacao/15820-2015-05-11-05-32-01.html]; "A Cruzada religiosa do Kremlin". Trad. Bruno Braga [http://b-braga.blogspot.com.br/2013/04/a-cruzada-religiosa-do-kremlin.html]; "Ex-espião da União Soviética: Nós criamos a Teologia da Libertação", ACIDigital, 11 de Maio de 2015 [http://www.acidigital.com/noticias/ex-espiao-da-uniao-sovietica-nos-criamos-a-teologia-da-libertacao-28919/]; Departamento de Estado dos Estados Unidos. Washington. D.C. "Ações ativas soviéticas: The Christian Peace Conference".  Trad. Bruno Braga. [http://b-braga.blogspot.com.br/2013/07/christian-peace-conference-disseminacao.html]; NORRIS, Brian. "Crítica do "Christian Peace Conference". Trad. Bruno Braga [http://b-braga.blogspot.com.br/2013/07/critica-do-christian-peace-conference.html].


[4]. Cf. "Os 'apóstolos' do Foro de São Paulo" [http://b-braga.blogspot.com.br/2016/06/os-apostolos-do-foro-de-sao-paulo.html].

[5]. Cf. referência [3], nota II. 

[6]. Cf. "A Teologia da Libertação e o 'apostolado' gayzista" [http://b-braga.blogspot.com.br/2015/07/a-teologia-da-libertacao-e-o-apostolado.html]; "Fátima, Nossa Senhora do Carmo e o 'ministério gayzista'" [http://b-braga.blogspot.com.br/2016/07/fatima-nossa-senhora-do-carmo-e-o.html].

[7]. Cf. "Estratégia comuno-petista" [http://b-braga.blogspot.com.br/2016/06/estrategia-comuno-petista.html]; "CDHM: 'Padre' do PT comanda 'trincheira' comuno-petista" [http://b-braga.blogspot.com.br/2016/06/cdhm-padre-do-pt-comanda-trincheira.html].

No comments: