Friday, November 14, 2014

A Escola do MST, o acordo bolivariano e o treinamento dos sem-terra.

Bruno Braga.
Notas publicadas no Facebook.
 
 

I.
 
Escola do MST - acordo bolivariano e glorificação de terrorista.

Nas últimas semanas, a Escola Nacional Florestan Fernandes (ENFF) serviu de palco para o estabelecimento de um acordo de cooperação entre o MST e o governo bolivariano da Venezuela, que foi representado por Elías Jaua, ministro do tiranete Nicolás Maduro. Uma parceria que prevê doutrinação socialista-comunista e treinamento de guerrilha - objetivo: avançar a "revolução socialista".
 
A ENFF - situada no município de Guararema, Região Metropolitana de São Paulo - é organizada pelos sem-terra. Recentemente, a escola promoveu uma homenagem a Carlos Marighella - ato que, somado ao acordo bolivariano e a tantas outras atividades, expõe de forma escandalosa a cultura fomentada naquele espaço.
 
 

Marighella foi um dos principais líderes dos grupos terroristas que pretendiam implantar o socialismo-comunismo no Brasil pelas armas. Recebeu treinamento na China e em Cuba. É o autor do "Manual do Guerrilheiro Urbano", um guia de orientação para quadrilhas de revolucionários, e que ilustra perfeitamente as suas atividades no país: "No Brasil o número de ações violentas praticadas é já muito elevado. Entre estas ações estão mortes, explosões de bombas, captura de armas, de explosivos e munições, 'expropriações' de bancos, ataques contra prisões, etc., atos que não podem deixar dúvidas sobre as intenções revolucionárias" (MARIGHELLA, Carlos. "Manuel de Guerrilla Urbaine". p. 06 [Tradução livre da versão eletrônica em francês]).
 
Os episódios envolvendo a ENFF e o MST - o acordo bolivariano e a glorificação de um terrorista - dão uma amostra do tipo de formação que está sendo patrocinada com dinheiro público. Uma formação ligada a um projeto de poder - não apenas pelo seu conteúdo ideológico, mas porque os sem-terra são o braço do PT e do Foro de São Paulo no campo.

 
II.
 
A "escola" do MST.


Neste vídeo, a Escola Nacional Florestan Fernandes (ENFF). Uma apresentação que começa e é concluída com o hino da INTERNACIONAL SOCIALISTA, e que já dá uma noção de como a militância revolucionária dos sem terra é "formada" na escola que está na pauta dos noticiários por ter servido de palco para a assinatura de um acordo de cooperação entre o MST e o governo bolivariano da Venezuela, representado na oportunidade por Elías Jaua, ministro do tiranete Nicolás Maduro. Uma parceria que prevê doutrinação socialista-comunista e treinamento de guerrilha - objetivo: avançar a "revolução socialista".

 
III.
 
Uma visita hollywoodiana na escola do MST.


Neste vídeo, Benício Del Toro, o ator porto-riquenho que viveu Che "O Porco Psicopata" Guevara nas telas do cinema, representa mais um papel: o papel "idiota útil". Em 2010, ele visitou a Escola Nacional Florestan Fernandes (ENFF) - a escola do MST - e promoveu, como mais uma figura pública internacional imbecilizada pela fantasia revolucionária, a "causa" dos sem terra, da guerrilha rural petista-socialista-comunista.

 
IV.
 
Del Toro - o ator que representou Che "O Porco Psicopata" Guevara no cinema e serviu de IDIOTA ÚTIL visitando a escola de doutrinação do MST - torna-se garoto-propaganda da quadrilha do Foro de São Paulo, da organização fundada por Lula e Fidel Castro para fomentar o socialismo-comunismo na América Latina.
 
 
Em 2010, ele participou de um comício do PT em São Paulo para a promover a então candidata Dilma Rousseff - e ouviu do presidente Luiz Inácio:
"Eu preciso de gente como você ao meu lado, Benício" [...] "O apoio de artistas e intelectuais com o teu prestígio é muito importante para dar mais repercussão e popularidade a essas idéias. Quando terminar meu governo, vou te procurar para trabalharmos juntos".
E Del Toro respondeu:
"Estarei à disposição do senhor na hora em que me chamar".



V.
 
Betto e o "apostolado da revolução" na escola do MST.

Na Escola Nacional Florestan Fernandes (ENFF), Betto analisa a "conjuntura latino americana" (Cf. imagem - evento de setembro de 2014).
 
 
Betto, o "apóstolo da revolução" que, com um disfarce de "frei" e pregando um simulacro de teologia - a Teologia da Libertação -, parasita a Igreja Católica contrariando integralmente os seus princípios, politiza e instrumentaliza a fé para promover o projeto de poder petista-socialista-comunista.
 
Terrorista durante o Regime Militar, Betto foi um dos fundadores do PT. Posteriormente, tornou-se assessor do ex-presidente Luiz Inácio, atuando antes como dirigente do Foro de São Paulo - da organização fundada por Lula e por Fidel Castro para fomentar o socialismo-comunismo na América Latina, e que hoje domina a política no continente.
 
Pelo "currículo", é possível imaginar o conteúdo da exposição de Betto; certo mesmo é que ele o "qualifica" para se apresentar na escola que recentemente serviu de palco para a assinatura de um acordo de cooperação entre o governo bolivariano da Venezuela e os sem terra - acordo que prevê doutrinação socialista-comunista e treinamento de guerrilha.

 
VI.
 
Por falar em Betto, escola do MST e acordo bolivariano...

Em 2010, Carlos Alberto Libânio Christo - o tal "frei" Betto - se reuniu com Hugo Chávez em Caracas. O propósito do encontro era abordar a "herança cultural da América Latina", e tratar, para além das culturais, de questões políticas e religiosas.
 
 
Porém, daquela reunião participaram mais duas autoridades importantes: Elías Jaua e Nicolás Maduro. Maduro, na época do encontro, era Ministro das Relações Internacionais. Hoje é Presidente da Venezuela, é o herdeiro do tiranete bolivariano. Elías Jaua era Vice-Presidente, e agora ocupa o Ministério do Poder Popular para os Movimentos Sociais. Nesta função, Jaua - como Ministro de Maduro - foi o encarregado de assinar nas últimas semanas um acordo de cooperação entre o governo venezuelano e o MST. Acordo firmado na sede da Escola Nacional Florestan Fernandes, a escola dos sem terra, e que previa doutrinação socialista-comunista e treinamento de guerrilha.
 
Betto e Chávez. Mas as presenças de Jaua e Maduro, que tornam aquele encontro, diante dos fatos recentes, ainda mais significativo. Provavelmente, não conversaram apenas sobre a "herança cultural", mas cuidaram de discutir um projeto de poder. Um projeto no qual todos eles estão envolvidos e também reunidos: na cúpula do Foro de São Paulo, organização fundada por Lula e Fidel Castro para promover o socialismo-comunismo na América Latina.

(*) Com informações de AVN, 19 de Novembro de 2010, "President Chavez, Frei Betto debated about Latin America's cultural heritage" [http://www.avn.info.ve/contenido/president-chavez-frei-betto-debated-about-latin-america039s-cultural-heritage].


VII.
 
"Escola" do MST promove o "SÁBADO COMUNISTA".
 
 
Escola Nacional Florestan Fernandes (ENFF) celebra o totalitarismo genocida, a maior e mais eficiente máquina de produzir cadáveres da história da humanidade (Cf. Imagem - Foto de 2010). É o centro de "formação" dos sem terra - do braço do PT no campo -, e que está na pauta do noticiário por servir de palco para um acordo de cooperação com o governo bolivariano da Venezuela - acordo este que prevê doutrinação e treinamento de guerrilha -, exibindo sua fidelidade a uma "tradição" soviética e o seu objetivo primordial: fazer avançar a revolução socialista-comunista. Tudo feito com a aplicação de recursos públicos.

 
ARTIGO RECOMENDADO.
 
BRAGA, Bruno. "MST - acordo bolivariano, doutrinação e guerrilha" [http://b-braga.blogspot.com.br/2014/11/mst-acordo-bolivariano-doutrinacao-e.html].

No comments: