Friday, July 06, 2012

Um desajuste nocivo.


Bruno Braga.


Entre os estereótipos que formam o imaginário político do brasileiro – e não apenas o do cidadão comum, mas o de grande parte dos analistas e cientistas – dois têm coroas de destaque, pois proporcionam ganhos inestimáveis aos seus representantes de carne e osso. Um é a concepção de que o PT não é um Partido Socialista-Comunista, e o outro, a ideia de que o PC do B não tem mais a essência comunista. Porém, é preciso rastrear os próprios agentes – reais e concretos – que se movem e agem valendo-se destas máscaras públicas, para verificar se, de fato, existe uma correspondência entre as ideias deles e aquelas que formam o imaginário e a cultura política.

Em um Comunicado dirigido à Mesa Diretora do XIII Foro de São Paulo, realizado em El Salvador no ano 2007, as FARC (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) louvam o PT por ter sido ele uma tábua de salvação do movimento revolucionário Socialista-comunista:

“Em 1990 já se via vir abaixo o campo socialista, todas as suas estruturas fraquejavam como castelo de cartas, os inimigos do socialismo festejavam a mais não poder, se cunhavam teorias como a do fim da história, muitos revolucionários no mundo observavam atônitos e sem conhecer o que havia falhado para que ocorresse semelhante catástrofe.
A utopia se dissipava, a desesperança se apoderou de muitíssimos dirigentes que haviam dedicado toda sua vida à luta por conquistar um mundo melhor, idealizando-o com o modelo de socialismo desenvolvido da União Soviética.
(depois de observar o Socialismo na China, Coréia do Norte, Vietnam e em Cuba) [...] É nesse preciso momento que o PT lança a formidável proposta de criar o Foro de São Paulo, trincheira onde nós pudéssemos encontrar os revolucionários de diferentes tendências, de diferentes manifestações de luta e de partidos no governo, concretamente o caso cubano. Essa iniciativa, que encontrou rápida acolhida, foi uma tábua de salvação e uma esperança de que tudo não estava perdido. Quanta razão havia, transcorreram 16 anos e o panorama político é hoje totalmente diferente” [...] [1]. (O destaque é meu).

Por sua vez, no Jornal do PC do B, Classe Operária [2], o Presidente nacional do Partido Comunista, Renato Rabelo, proclama:

O PC do B não alterou sua identidade comunista e socialista. É um partido de princípios, voltado para nossos dias e orientado por uma tática flexível (o destaque é meu).

Além disso, a publicação enfatiza que, com as comemorações dos 90 anos do PC do B, o projeto é acentuar uma corrente marxista-leninista revolucionária com a “indicação do rumo socialista para o Brasil”.

Nestes termos, as ideias que orientam os próprios agentes políticos não correspondem à imagem pública do PT e do PC do B. Embora se apresentem com siglas distintas, com uma face higienizada e um traje moderno, ambos os partidos carregam a mesma essência: a mentalidade revolucionária Socialista-Comunista. A mesma que, além de um morticínio jamais visto na história da humanidade, promove uma degradação intelectual sem precedentes. Na América Latina o Foro de São Paulo é um centro de promoção cujo objetivo é a concentração do poder - é onde se perpetua a tradição de fomentar estereótipos para formar o imaginário e a cultura política, e onde o PT e o PC do B se encontram [3].      

 
Referências.

[1]. Cf. Pravda.ru, 2007. FARC: Saudação ao Foro de São Paulo [http://port.pravda.ru/mundo/25-01-2007/15168-farcsaudacao-0/#].  

[2]. Cf. Jornal do PC do B, Classe Operária, Ano 85, sétima fase, n. 34, Abril de 2011. p. 03.

[3]. Foro de São Paulo, Partidos membros [http://forodesaopaulo.org/?page_id=52].

No comments: