Saturday, November 24, 2018

O maçom da ridícula "#avôpedófiloaomeulado" à frente da Maçonaria mundial.

Infovaticana, 16 de novembro de 2018.
Tradução. Bruno Braga.


Óscar de Alfonso foi eleito Secretário Executivo da Conferência Mundial de Grandes Lojas Regulares, o que o torna até 2023 o mestre maçom à frente da coordenação da Maçonaria mundial, formada por aproximadamente quatro milhões de membros da seita condenada pela Igreja.

A eleição aconteceu durante a XVI reunião mundial de Grandes Lojas, realizada no Panamá, e que se concentrou no debate sobre "o papel que a Maçonaria deve desempenhar no século XXI diante da violação dos Direitos Humanos e da desigualdade".

De acordo com o comunicado da Grande Loja da Espanha, no mundo existem por volta de duzentas Grandes Lojas Regulares, soberanas no governo de suas Respeitáveis Lojas, e livres para estabelecer relações de amizade e reconhecimento com outras Grandes Lojas. Todas aquelas que contem com um mínimo de 50 reconhecimentos internacionais podem participar da Conferência Mundial de Grandes Lojas Maçônicas Regulares, que se reuniu pela primeira vez no México, em 1995.

Nesse fórum mundial, realizado a cada 18 meses, cerca de cem delegações vindas do mundo todo debatem as grandes questões vinculadas à estabilidade, ao progresso e à universalidade da Maçonaria, segundo a própria nota de imprensa da Maçonaria. 

Para saber mais sobre o líder mundial dos maçons, recomendamos a leitura deste artigo de Michael Collins:

Os maçons já não metem medo [1].

O Grão-mestre da Grande Loja da Espanha é, desde 2010, Óscar de Alfonso Ortega. Este homem de 50 anos de idade é a cabeça visível de uma parte da Maçonaria espanhola que, para o seu lamento, não está composta apenas pela corrente maçônica que ele representa. De rotário a maçom, Ortega pode se orgulhar de uma destacada temporada dentro das consideradas associações beneficentes. Entre os seus hobbies podemos destacar o cinema, a leitura e a natação.

Também praticou boxe tailandês, embora o tenha abandonado quando precisou fazer uma cirúrgica (fonte: "Diario de Sevilla", junho de 2017). Nos últimos tempos, o Grão-mestre tem entre as suas diversões publicar nas redes sociais suas ocupações oficiais e representativas, com as quais nos mostra a sua visão pessoal e vivencial do que é para ele a autêntica Maçonaria. Assim, podemos ver, no seu perfil público do Instagram, a definição gráfica do que significa ser maçom para o representante máximo da Grande Loja da Espanha.

Sem sombra de dúvida, a última viagem do Mestre a terras brasileiras para tratae de questões de representação foi intensa.

O maçom usa hashtags como estas:
#sexo #abuelopedofiloamilado [tradução livre: "avôpedófiloaomeulado"] #cocos #chupar

Acompanhadas de uma ilustrativa e gráfica frase na qual reza: "Tampando-me as tetas com dois côcos. Não pude resistir a chupar um côco".


NOTAS.

Tuesday, November 06, 2018

Quem tem medo da filosofia brasileira?

Ricardo Vélez Rodríguez.



(*) Nota - Bruno Braga. O motivo para relembrar e reproduzir este artigo não é somente a atual evidência do nome do autor. Ricardo Vélez Rodríguez está sendo cogitado para ocupar o Ministério da Educação do governo Bolsonaro - sobretudo por uma sugestão legítima do professor Olavo de Carvalho. O artigo, contudo, é importante no presente contexto da discussão pública sobre o aparelhamento comunista das universidades. Um patrulhamento ideológico comunista, narrado aqui no âmbito da Filosofia, e que teve início já no período militar (!), sob a liderança do padre jesuíta Henrique Cláudio de Lima Vaz, ícone da nefasta Teologia da Libertação. Um artigo fundamental para compreender uma fase da revolução cultural que conduziu o PT e o Foro de São Paulo ao poder, e o atual estado de coisas no meio universitário, transformado em núcleo de formação e adestramento da militância, em centro estratégico e base do movimento comunista. 



Utilizo, para este comentário, título que o mestre Antônio Paim pôs em circulação lembrando Virgínia Woolf, para identificar as mazelas que, no final do século passado, infernizavam a vida de quem se dedicasse ao estudo da nossa cultura filosófica. A situação, como os leitores poderão observar, não mudou muito de 1990 para cá.

Aconteceu, na seara da filosofia, estranho fenômeno de colonialismo cultural que foi, progressivamente, extinguindo tudo quanto, no nosso país, cheirasse a estudo do pensamento brasileiro ou à consolidação de uma filosofia nacional. Os artífices dessa façanha (ocorrida nas três últimas décadas do século passado) foram os burocratas da Capes no setor da filosofia, comandados pelo padre jesuíta Henrique Cláudio de Lima Vaz. Os fatos são simples: no período em que o general Ruben Ludwig foi ministro da educação, ainda no ciclo militar, os antigos ativistas da Ação Popular Marxista-Leninista receberam, à sombra do padre Vaz, a diretoria dos conselhos da Capes e do CNPq, na área mencionada.

Especula-se que o motivo da concessão fosse uma negociação política: eles prometiam abandonar a luta armada. A preocupação dos militares residia no fato de que foi esse o único agrupamento da extrema esquerda que não se organizou explicitamente em partido político.

Os grupos da denominada "direita" (conservadores, ultra-conservadores, liberais, liberais-sociais, etc.), toda essa imensa gama, ficou do lado de fora dos favores oficiais, no período militar e após. De um lado, os militares, de uma forma bastante imprecisa, identificavam como perigosos não apenas os ativistas da extrema-esquerda, mas também todos aqueles que se apresentassem como liberais (lembrar as referências do general Golbery à ideologia liberal, como contrária aos interesses do país, o que explica as cassações de liberais linha-dura como Carlos Lacerda, ou os preconceitos contra social-democratas como Juscelino).

Os restantes grupos da denominada "direita" terminaram sendo exorcizados das benesses oficiais, em decorrência do patrulhamento dos ativistas de esquerda, que foram beneficiados pelo regime. Prova documental importante é constituída pelo artigo de Aramis Millarch [“Délcio explica quem são os senhores da direita”, O Estado do Paraná, 28/12/1980, p. 10], que resenha livro publicado em 1980, do jornalista Délcio Monteiro de Lima, intitulado: Os senhores da direita [Rio de Janeiro: Editora Antares, 168 p.]. O saco de gatos é grande: vão para o mesmo balaio ativistas da TFP, antigos integralistas, conservadores e até os membros do staff da Revista Convivium e a entidade que lhe dava sustentação, Convívio - Sociedade Brasileira de Cultura.

A discriminação foi feita, notadamente, pelo pessoal da Ação Popular, através da Capes e do CNPq. Um exemplo: quem tiver produção científica publicada na Revista Convivium, não pode (ainda nos dias que correm) registrar, no Lattes, essa publicação como "artigo científico publicado em revista com corpo editorial". Embora a mencionada revista possua ISSN (0102-2636), o sistema Lattes simplesmente ignora a tal revista, e a produção tem de ser classificada como publicada em magazine. Pequena retaliação, mas que mostra a que ponto chegou o patrulhamento ideológico (e, evidentemente, orçamentário). Isso sem falar na perseguição da CAPES, explícita e atual, contra os cursos de mestrado e doutorado em filosofia brasileira, que foram sendo extintos, um a um, por pressão do MEC, entre 1979 e 1999. Caíram, sucessivamente, na guilhotina ideológica oficial, o programa de mestrado em Filosofia Brasileira da PUC do Rio, o programa de mestrado e doutorado em Filosofia Luso-Brasileira da Universidade Gama Filho, bem como o programa de mestrado em Filosofia Brasileira da Universidade Federal de Juiz de Fora.

Sorte semelhante tiveram programas considerados “de direita”, como o mestrado em Estudo de Problemas Brasileiros da Universidade do Estado do Rio de Janeiro e da Universidade Mackenzie, em São Paulo. Isso aconteceu numa conjuntura internacional  em que outros países como Espanha, Portugal, México, Argentina e Colômbia passaram a valorizar de forma muito clara o estudo das respectivas filosofias nacionais, como forma de ocupar um lugar no mundo globalizado. Portugal, que não tinha cursos para o estudo da filosofia autóctone, criou esses programas em 1986, com apoio do Curso de Mestrado e Doutorado em Filosofia Luso-Brasileira da Universidade Gama Filho (extinto em meados dos anos 90).

Outra retaliação contra os estudiosos da filosofia brasileira: a Revista Brasileira de Filosofia, fundada por Miguel Reale em 1949, que recebia uma pequena verba do Ministério da Cultura, para custear postagem dos exemplares destinados a bibliotecas e universidades, teve esse auxílio sumariamente cortado pelo ministro Francisco Weffort (no segundo governo de FHC). Detalhe: as revistas Brasileira de Filosofia e Convivium foram, no século passado, as duas mais importantes publicações brasileiras na área da filosofia e das humanidades (a Revista Brasileira de Filosofia completa, em 2009, os seus 60 anos, e a Convivium chegou pertinho dos quarenta, pois foi publicada, ininterruptamente, com periodicidade bi-mensal, entre 1962 e 2000). 

A retaliação dos burocratas contra quem queira estudar filosofia brasileira não conseguiu, contudo, desestimular as novas gerações. São inúmeras as iniciativas empreendidas por estudantes e professores, em prol do estudo da cultura nacional no terreno das idéias filosóficas. Sem mencionar projetos consolidados no século passado (como a criação, pelo professor Antônio Paim, do Centro de Documentação do Pensamento Brasileiro em Salvador, Bahia, na década de 1980), seria grande a lista das iniciativas em curso. Menciono apenas quatro: o Núcleo de Estudos Ibéricos e Ibero-Americanos da Universidade Federal de Juiz de Fora, que publica a revista eletrônica Ibérica [www.estudosibericos.com]; o Centro de Pesquisas Estratégicas “Paulino Soares de Sousa”, que publica, nessa mesma Universidade, no portal UFJF/Defesa, dedicado também ao estudo e à divulgação do pensamento estratégico brasileiro [www.defesa.ufjf.br], o Núcleo de Estudos de Filosofia Brasileira da Universidade Federal de Minas Gerais, coordenado pelo professor Paulo Margutti e o Centro de Estudos Filosóficos de Londrina, criado em 1989 pelo professor Leonardo Prota e que, ao longo dos anos 90 do século passado, realizou os Encontros Nacionais de Professores e Pesquisadores da Filosofia Brasileira, com apoio da UEL. 

Sunday, October 28, 2018

Arquidiocese de Mariana vira comitê eleitoral comunista.

Bruno Braga.
Notas publicadas no Facebook.


I.

"Em defesa da democracia". "Nós, PADRES"... Esta é a peça que "padres" da Arquidiocese de Mariana montaram para enganar os católicos e levá-los a votar em Fernando Haddad, o representante de uma facção criminosa que - não é segredo para ninguém - tem um "Plano de Governo" escandalosamente contrário aos princípios e orientações da Santa Igreja Católica. 

Os cabos eleitorais travestidos de "padre" que até o momento assinam o panfleto da campanha comunista são: Pe. Antônio Claret Fernandes; Pe. Ernesto de Freitas Barcelos (dioc. Itabira/Fabriciano); Pe. Geraldo Barbosa; Pe. Geraldo Martins Dias; Pe. João Batista Barbosa (Tista); Pe. João Paulo Silva; Pe. José Afonso Lemos; Pe. José Antônio de Oliveira; Pe. José Raimundo Alves; Côn. Lauro Sérgio V. Barbosa; Pe. Marcelo Moreira Santiago; Pe. Paulo Barbosa; Pe. Wander Torres Costa; Pe. Oscar de Oliveira Germano; Pe. Márcio Vieira Viana; Pe. Euder Daniane Canuto Monteiro .

José Antônio, o excretor de ofensas contra a Santíssima Virgem Maria, e que ousou justificar o sacrilégio escabroso realizado por Fernando Haddad e sua vice abortista [1]. Wander Torres Costa, aquele que comparou as investigações contra o presidiário Lula à Paixão de Cristo [2]. Marcelo Santiago, cabo eleitoral petista [3], assim como Geraldo Barbosa [4]. José Afonso Lemos e o seu anel de tucum, na militância das CEB's, antro da Teologia da Libertação [5]. Euder Daniane Canuto Monteiro, que é diretor da comunidade da Filosofia do Seminário São José, da Arquidiocese de Mariana (!).

Enfim, a adesão a esse manifesto, que é propagandeado ardilosamente como se fosse um ato em favor da "democracia", não é mero atestado de burrice. Trata-se de assinar um ato de traição contra a Santa Igreja Católica para trabalhar em favor de uma quadrilha que prega tudo aquilo que A contraria e que a própria Esposa de Cristo condena. É a ousadia sem vergonha para desobedecer o Arcebispo de Mariana, Dom Aírton José dos Santos, que publicou uma "mensagem" sobre as Eleições 2018, proibindo este tipo de manifestação e de militância [6].

A Arquidiocese, seguindo a sua "tradição", provavelmente não tomará nenhuma providência. Mas, os leigos têm aí a lista - e assinada pelos próprios militantes de batina [7].
______

Uma atualização na lista de cabos eleitorais travestidos de "padre" que assinam um panfleto da campanha comunista a favor de Fernando Haddad [8] (cf. imagem).

O padre Julião acrescentou o seu nome. Ele, que celebrou uma "missa afro" que não existe sequer na África, e que nestas eleições se engajou como militante na candidatura do "padre do PT", o Padre João 1315, que acaba de reeleger-se deputado federal com uma campanha que se tornou caso de polícia [9].
Luiz Paixão, que "compartilhou" uma imagem nas redes sociais para acusar Jair Bolsonaro de ser "torturador" - um crime do qual o candidato não foi nem mesmo acusado [10]. 

Tem o nome do Cônego Lauro Sérgio Versiani Barbosa. Ele, veja só, o postulador da fase diocesana da causa de Beatificação de Dom Luciano Mendes de Almeida, antigo Arcebispo de Mariana e presidente da CNBB - o "ícone" da Teologia da Libertação. Lauro Versiani, o pároco da Paróquia Nossa Senhora do Rosário de Fátima, em Viçosa (MG), que permite a realização de verdadeiras "palhaçadas" sobre o altar [11] e promove "homenagens" escabrosas a Nossa Senhora de Fátima [12] - a Mãe de Deus que tentou nos alertar sobre os "erros" da Rússia, entre eles o Comunismo.

A militância comunista corre solta e de forma desavergonhada na Arquidiocese de Mariana. Os militantes de batina não estão nem aí para as determinações do próprio Arcebispo, Dom Aírton José dos Santos [13].
______

Correio de Minas. A militância comunista dos "padres" da Arquidiocese de Mariana torna-se manchete de jornal. Já são mais de 40 cabos eleitorais pró-Haddad disfarçados em um "manifesto em defesa da democracia" (cf. imagem) [14].

Os nome listados na matéria em tela são: Pe. Paulo Barbosa (Padre Paulinho); Pe. Geraldo Barbosa; Pe. Geraldo Martins Dias; Côn. Lauro Sérgio Versiani Barbosa; Pe. Marcelo Moreira Santiago; Pe. Wander Torres Costa; Pe José Julião da Silva; Pe. Antônio Claret Fernandes; Pe. João Batista Barbosa (Tista); Pe. João Paulo Silva; Pe. José Afonso Lemos; Pe. José Antônio de Oliveira; Pe. José Raimundo Alves; Pe. José Maria Coelho da Silva; Pe Oscar de Oliveira Germano; Pe Márcio Vieira Viana; Pe Antônio Carlos Martins Ribeiro; Pe Euder Daniane Canuto Monteiro; Pe José Geraldo Vidal; Pe. Luciano Ferreira de Oliveira; Pe Dario Chaves Pereira; Pe Leandro Marcos Costa; Pe Ronaldo Gomes Chaves; Pe Vicente de Paula Silva; Pe José Maria Dias; Pe Luiz da Paixão Rodrigues; Pe Paulo Edson Moreira; Pe Oldair de Paulo Mateus; Pe Francisco Maria de Castro Moreira; Pe Walter Paixão; Pe João Ferreira da Silva; Pe Sérgio Silva Souza (7 Lagoas); Pe Wantuil dos Santos Oliveira (7 Lagoas).

A Arquidiocese de Mariana se transforma verdadeiramente em comitê eleitoral comunista [15].

II.

A Arquidiocese de Mariana parecer ter definitivamente se transformado em comitê eleitoral da facção comunista PT. Eis o padre Euder Canuto, diretor da comunidade da Filosofia do Seminário São José, que, sob o pretexto de promover o "esclarecimento" do fiéis, "compartilha" uma imagem sobre o que "a Igreja é contra", e a partir dos velhos slogans de militância - "católicos contra o fascismo" e "não ao ódio" - tenta induzir na base do truque e da distorção os católicos a votarem em Fernando Haddad.

Sim, a Igreja é contra o "totalitarismo". Por que, então, não ser mais específico, e denunciar não só os "fins mercantis", mas também o socialismo e o comunismo? "O comunismo é intrinsecamente mau", Pio XI ("Divini Redemptoris"). O mesmo Papa Pio XI afirmou: "[o socialismo] é incompatível com os dogmas da Igreja Católica, pois concebe a própria sociedade como alheia à verdade cristã" [...] "Católico e socialista são termos antitéticos" [...] "Socialismo religioso, socialismo cristão, são termos contraditórios. Ninguém pode ser, ao mesmo tempo, bom católico e verdadeiro socialista" ("Quadragesimo Anno"). Por que o padre Euder Canuto não fala da possibilidade de excomunhão "latae sentenciae" - isto é, de excomunhão automática -, no caso de envolvimento do católico com o Comunismo, de colaboração e de votar em partidos e candidatos comunistas? [16]

"Tortura"? A gangue do candidato "office boy" de presidiário não só idealiza e apoia, é parceira e patrocinou com o dinheiro do contribuinte regimes comunistas assassinos e torturadores. Cuba, Venezuela, Bolívia, Nicarágua, etc., etc.    

A respeito das "armas", o padre Euder Canuto deveria ter feito uma observação: a de que a Igreja estabelece a legítima defesa como um direito moral, com previsão inclusive no seu Catecismo (2263-2267). 

Por que o padre Euder Canuto não disse que a Igreja é contra o "aborto" (Catecismo da Igreja Católica, 2271-2272)? Ora, temos um dos candidatos que, com a sua facção, é abertamente comprometido com a legalização da matança de crianças inocentes [17].

Seria muito importante que o diretor responsável pela Filosofia do seminário de Mariana tivesse dito que a Igreja também é contra a ideologia de gênero LGBT-gayzista, afinal de contas, temos o "pai" do "kit gay" pleiteando a Presidência da República. "'Os atos de homossexualidade são intrinsecamente desordenados'" [...] "Em caso algum podem ser aprovados" (Catecismo da Igreja Católica, 2357).

Euder Canuto e o seu anel de tucum. Ele, que acaba de assinar um manifesto de "padres" pela "democracia", e que não é nada mais que um panfleto grotesco de campanha para a candidatura comunista [18]. 

São quase cinco anos desde a conversa que tive pessoalmente com Euder Canuto sobre - veja só (!) - o 13o Intereclesial das CEB's, que foi um escândalo de militância comunista [19]. Pelo visto, não adiantou nada, e a publicação que aqui comento, junto com o "panfleto" acima citado, deixam claro ter ele mesmo hoje se tornado um autêntico militante. 

III.

É verdade que a "curtida" foi no primeiro turno. Mas, não tenho por que pensar que mudou a sua visão sobre Jair Bolsonaro - e sobre os eleitores do candidato! - neste segundo turno.

Trata-se de Valter Magno, que com o seu anel de tucum é o Reitor do Seminário Arquidiocesano São José, de Mariana (!). É mais uma amostra para reforçar a impressão de que a Arquidiocese de Mariana se transformou em comitê eleitoral comuno-petista.  

IV. 

O católico que não sente a menor repulsa contra a comunhão sacrílega realizada por Fernando Haddad e Manuela d'Ávila [20] é porque ou tornou-se indiferente à utilização política da Sagrada Eucaristia ou já não acredita mais na palavra do próprio Cristo: "isto É o meu corpo" (Mc. 14, 22). Mas, quando se trata de um "padre" a defender o ultraje, não é que ele simplesmente perdeu a fé, ele perdeu foi a vergonha na cara. E foi exatamente o que fez José Antônio Oliveira - o famoso excretor de ofensas contra a Santíssima Virgem Maria.

"Comunista pode comungar?". É o título do artigo escrito pelo pároco da Paróquia São João Batista, em Barão de Cocais (MG) [21]. Não há razão para comentá-lo integralmente. Uma pessoa que tenha pelo menos bom senso - não precisa nem mesmo ser católica - é capaz de identificar os truques e fraudes, perceber a má-fé do "apóstolo" da Teologia da Libertação ao abordar o episódio tenebroso.  

Sim, má-fé. O mostruário de aberrações produzido por este senhor é tão grande - e não só em escritos, mas também em ações - que chega a ser um escândalo que a Arquidiocese de Mariana ainda permita que ele se apresente como sacerdote. Mas, se as autoridades eclesiásticas não tomam nenhuma providência, está na hora - ou melhor, já passou da hora - de os leigos contestarem a sua autoridade de "padre".

José Antônio ri e debocha, diz que até ele já foi chamado de "comunista". Na-na-ni-na-não. Não foi uma simples constatação do óbvio, mas o próprio José Antônio acabou assumindo publicamente que é de fato comunista: [...] "tenho um pensamento mais de esquerda" [...] "o comunismo na sua essência é muito mais cristão do que o capitalismo" [22].

Para defender o sacrilégio cometido por Manuela d'Ávila, José Antônio diz que a vice de Haddad "se confessa publicamente cristã". Uma farsa amplamente desmascarada: ela não é cristã coisíssima nenhuma [23]. Ademais, o caso não exige apenas ser "cristã", seria necessário que Manuela fosse - legitimamente - católica (!). 

Mas José Antônio vai além. Ele utiliza maliciosamente as palavras do Cristo - "Tomai e comei" [...] "Bebei dele TODOS" (o destaque é dele. Mt. 26, 26-27) -, omitindo que esse "todos" é dito entre os "discípulos" (!) (Mt. 26, 20). 

José Antônio despreza a advertência do apóstolo Paulo, que após narrar aquela mesma Ceia, disse: "todo aquele que comer o pão ou beber o cálice do Senhor indignamente será culpável do corpo e do sangue do Senhor" [...] "aquele que come e bebe sem distinguir o corpo do Senhor, come e bebe a própria condenação" (1Cor. 11, 27; 29). 

José Antônio sugere que para "receber a Hóstia" não é preciso sequer ser católico, bastaria viver "a comunhão no compromisso com a justiça e os mais necessitados". Ele, contudo, não menciona em momento algum o compromisso de Manuela d'Ávila com a legalização do aborto - com a matança de crianças inocentes.    

José Antônio vira as costas para o Didaqué, a mais antiga instrução para os cristãos (que pode ser datada entre os anos 90-100 depois de Cristo), que determina a celebração eucarística na união da "igreja" (!) e fala claramente sobre a necessária união com a Esposa de Cristo e do estado de graça para receber a Hóstia: "Ninguém coma nem beba de vossa Eucaristia, se não estiver batizado em nome do Senhor. Pois a respeito dela disse o Senhor: Não deis as coisas santas aos cães!" (9); "Na assembleia, CONFESSARÁS TUAS FALTAS e não entrarás em oração de má consciência" (4); "Reuni-vos no dia do Senhor para a fração do pão e agradecei (celebrai a eucaristia), DEPOIS DE HAVERDES CONFESSADO VOSSOS PECADOS, para que vosso sacrifício seja puro" (14) (os destaques são meus).

José Antônio rasga o Catecismo de São Pio X: (630) "Quem comungasse em PECADO MORTAL receberia a Jesus Cristo? Quem comungasse em pecado mortal receberia a Jesus Cristo, mas não a sua graça; PELO CONTRÁRIO, COMETERIA SACRILÉGIO E INCORRERIA NA SENTENÇA DE CONDENAÇÃO" (o destaque é meu).

José Antônio pisa o Catecismo da Igreja Católica de São João Paulo II, que no seu número 1355, citando São Justino, é taxativo: [...] "chamamos este alimento de Eucaristia, e a ninguém é permitido participar na Eucaristia senão àquele que, ADMITINDO COMO VERDADEIROS OS NOSSOS ENSINAMENTOS e tendo sido purificado pelo Batismo para a remissão dos pecados e para o novo nascimento, levar uma vida como Cristo ensinou". 

José Antônio cospe sobre o Código de Direito Canônico: "Não sejam admitidos à sagrada comunhão os excomungados e os interditos, depois da aplicação ou declaração da pena, e outros que obstinadamente perseverem em pecado grave manifesto" (Cânon 915).

E, por que José Antônio - o "apóstolo" da Teologia da Libertão - não menciona os documentos ainda em vigor do Santo Ofício, e que tratam da possibilidade de excomunhão "latae sentenciae" (automática) de comunistas? Não para Manuela d'Ávila, que é do PCdoB e sequer é católica; mas que tratam dele mesmo, que acredita poder ser "padre" e ao mesmo tempo comunista [24].

Ora, José Antônio não está ciente de tudo isso? Claro que está. Porém, o seu compromisso não é com a Santa Igreja - que ele descaradamente não cansa de trair -, mas com a gangue para a qual há anos presta serviço, e que agora comete um sacrilégio horrendo que ele de forma cretina tenta justificar. Defender sob os aplausos e a manifestação "gentil" de outro picareta, João Carlos Siqueira - o "padre do PT" que acaba de reeleger-se deputado federal (cf. imagem) [25]. 

Mais uma vez, se a Arquidiocese de Mariana não toma nenhuma providência, é hora de os leigos deixarem de reconhecer a autoridade de um vigarista que há muito tempo deixou de ser "padre".    

V. 

Trata-se apenas de registrar o que é óbvio, mas que nesta imagem aparece de forma declarada: "Quanto ao Haddad" [...] "Posso dizer que ELE ME REPRESENTA" (cf. imagem). 

O candidato de José Antônio é exatamente o representante da facção criminosa que ele tentou absolver do sacrilégio tenebroso, cometido para enganar os católicos e roubar-lhes o voto [26]. 

José Antônio tenta o mesmo "roubo". Sim, "roubo", pois o faz por meio da violência. Violência contra inteligência e contra a Santa Igreja. Nas suas redes sociais, o "apóstolo" da Teologia da Libertação tenta influenciar, valendo-se da autoridade de "padre", se esforça para ludibriar os seus "seguidores" e simpatizantes a votarem em um candidato, a promoverem uma gangue que contraria integralmente os princípios e orientações da Santa Igreja Católica. 

José Antônio é ousado. Ele não tem vergonha, pois está convicto de que a Arquidiocese de Mariana não fará nada, mesmo desobedecendo de forma atrevida as determinações expressas do seu Arcebispo [27]. É por isso que, com outros cabos eleitorais travestidos de "padre", está em plena campanha para a candidatura comunista [28].

VI.

O "office boy" de presidiário agora está choramingando com a conversa fiada de que é de "fake news" supostamente bancadas a peso de ouro por empresários "malignos". Mas... Veja quem anda pregando a mentira. João 1315 há anos engana os católicos da Arquidiocese de Mariana com os truques e fraudes da Teologia da Libertação na promoção da sua carreira política. O picareta, que ainda tem a cara de pau de se apresentar como "padre" - mesmo trabalhando para uma facção criminosa que tem um projeto de poder, uma agenda escandalosamente contrária aos princípios da Santa Igreja Católica -, acaba de reeleger-se deputado federal, e com uma campanha que tornou-se caso de polícia [29].

Mentir, mentir, mentir. É um dos "dogmas" comunistas. E aqui João dissemina a mentira "compartilhada" pelo seu "companheiro" de facção: Fernando Haddad (cf. imagem).

(*) A imagem refere-se a coluna da revista Veja que não tem nenhum fundamento concreto. Trata-se de pura especulação (15 de outubro de 2018). 

VII.

O padre João Ferreira - vigário paroquial da Matriz de Nossa Senhora da Conceição, em Congonhas (MG), se uniu ao "padre do PT", João 1315, na promoção da candidatura do "office boy" de presidiário e representante do Foro de São Paulo (cf. imagem).

É o "apostolado" da Teologia da Libertação oferecendo para o católico mais um caso de traição contra a Santa Igreja com "padres" que se tornam cabos eleitorais de uma facção criminosa e de um candidato que, com a sua vice abortista, ousou cometer um sacrilégio horrendo na tentativa de enganar os fiéis e furtar o seu voto [30]. A Arquidiocese de Mariana? Continua assistindo a tudo, passivamente. 

(*) Para assistir ao vídeo do qual foi extraída a imagem abaixo, acesse: [http://bit.ly/2NKmaTT].

(**) Sobre o deputado federal "padre" João, leia: Cf. "João: a campanha eleitoral vigarista do 'padre do PT'" [https://b-braga.blogspot.com/2018/10/joao-campanha-eleitoral-vigarista-do.html].     

VIII.

O padre Luiz Paixão resolveu aderir à campanha de difamação contra Bolsonaro. Na publicação abaixo, o vigário da paróquia Bom Pastor, em Barbacena (MG), acusa o candidato de ser "torturador". Para os seguidores de suas redes sociais e para os católicos, ele utiliza uma imagem que coloca Bolsonaro como carrasco de Cristo e atribui ao presidenciável a prática de um crime do qual ele não foi acusado e sequer condenado.  

Luiz Paixão entrou na campanha contra Bolsonaro. Mas - com o seu anel de tucum - acabou, por consequência óbvia, tornando-se cabo eleitoral do adversário do presidenciável no segundo turno: do "office boy" de presidiário e representante de uma facção com um criminoso esquema de poder comunista escandalosamente contrário aos princípios e orientações da Santa Igreja Católica.

Ademais. O engajamento do padre "pejoteiro" Luiz Paixão caracteriza o descumprimento de uma determinação do próprio Arcebispo da Arquidiocese de Mariana - Dom Aírton José dos Santos - que, em "mensagem" sobre "a participação das Paróquias, Comunidades, Pastorais, Movimentos, Associações, organismos e de todos os fiéis cristãos, no pleito eleitoral de 2018", proibiu esse tipo de manifestação [31].

IX.

Eis o padre José Maria, em campanha escabrosa contra Jair Bolsonaro. Nas "orientações para os católicos", que ele "compartilha" com os seus seguidores nas redes sociais, uma peça não só de militância, mas de difamação auto-evidente. Claro, também um ato consequente de apoio e promoção da candidatura do "office boy" de presidiário, da facção criminosa que tomou de assalto o país. 

Trata-se de mais uma amostra da militância dos padres da Arquidiocese de Mariana, na tentativa de enganar os católicos, roubar o voto deles para um criminoso esquema de poder comunista com uma agenda integralmente contrária aos princípios e orientações da Santa Igreja Católica - aborto, ideologia de gênero LGBT-gayzista, legalização das drogas, controle da imprensa e do poder judiciário, etc., etc.

Padre José Maria, vigário da Paróquia São José, em Alto Rio Doce (MG), e o seu anel de tucum. 

(*) O documento "compartilhado" traz os nomes dos padres Rosivaldo Motta, Adilson Silva, Devaldo Vieira Ménez e do frei Manuel Dias. Bom Jesus da Lapa (BA).


X.

Salão paroquial da Paróquia de Santo Antônio, em Barbacena (MG), é cedido à propaganda eleitoral comuno-petista. Um tal "Movimento de pais em defesa da Educação pública e da Democracia" convocou os "pais de alunos da escola pública e comunidade" para uma "reunião" sobre "política pública de educação" e "eleições" (cf. imagem). Mas a tal reunião - que contou com a participação ativa de Margarida Barbosa, diretora da Escola Estadual João Anastácio, Polivalente - foi na verdade uma panfletagem para a promoção da candidatura de Fernando Haddad, representante da facção do PT e do Foro de São Paulo, "office boy" de presidiário que está a serviço de um esquema de poder criminoso integralmente contrário aos princípios e orientações da Santa Igreja Católica (cf. imagem). Aborto - assassinato de crianças indefesas [32], ideologia de gênero LGBT-gayzista [33], legalização das drogas, totalitarismo comunista, etc., etc.

O salão paroquial está sob a responsabilidade do padre José Eudes de Carvalho Araújo, pároco da Paróquia de Santo Antônio.

Eis a Arquidiocese de Mariana, transformada em um verdadeiro comitê eleitoral comunista.

XI.

A homilia é extensa, mas vale a pena assisti-la: [http://bit.ly/2z37mu6]. Nela, Wander Torres Costa, devidamente "paramentado" e "inculturado", de pronto tenta se proteger de uma eventual denúncia de "profanação". Mas, o foco aqui é a utilização do presbitério e da festa de Nossa Senhora do Rosário para fazer campanha política. 

Com estereótipos e slogans, com distorções de passagens bíblicas, claro, sob a influência do seu anel de tucum e do "catecismo" da Teologia da Libertação, ele tenta desmoralizar Jair Bolsonaro. Wander chega a pregar: [...] "quem ODEIA, comete pecado grave; na linguagem antiga, os antigos diziam, pecado mortal; e quem está em pecado mortal não pode comungar" - orientação que parece valer apenas para os eleitores do candidato que é caricaturizado com o "ódio", pois não se faz alusão à comunhão sacrílega realizada pela chapa comunista [34]. E diz: "se há COMUNISTAS ao lado dos pobres e pequenos, mesmo que não professemos a mesma fé, somos irmãos e companheiros de caminhada, em vista de ALGO QUE É MAIOR que as nossas diferenças". 

A consequência óbvia do "sermão", ou do comício, é o apoio à facção comunista representada por Fernando Haddad, que contraria integralmente os princípios e orientações da Santa Igreja Católica.

Senhora do Rosário, que em Fátima tentou nos "alertar" sobre os "erros" da Rússia, sobre o Comunismo... 

Wander Torres Costa, padre da Paróquia de São Sebastião, em Ponte Nova (MG), em pleno ato de campanha política. Ele, que comparou as investigações sobre o presidiário Lula à Paixão de Cristo [35]. Wander Torres Costa, que, junto com outros "padres", assina um panfleto de campanha eleitoral comunista [36], que pisa as determinações do Arcebispo [37].  

A baderna dos cabos eleitorais de batina, transformando a Arquidiocese de Marina em um verdadeiro comitê eleitoral comuno-petista.

XII.

Mais um cabo eleitoral de batina da Arquidiocese de Mariana: Paulo Edson Moreira, pároco da igreja de Nossa Senhora de Lourdes, em Conselheiro Lafaiete (MG). Ele é signatário do panfleto de campanha pró-Haddad disfarçado de "manifesto em defesa da democracia" [38].


XIII.

Publiquei aqui uma série de "notas" sobre a transformação da Arquidiocese de Mariana em comitê eleitoral comunista. Em desobediência às determinações do próprio Arcebispo, padres se engajaram publicamente na campanha pró-Haddad, militando por um criminoso esquema de poder que contraria obscenamente os princípios e orientações da Santa Igreja Católica. 

Não é possível estabelecer de forma precisa, mas os dados finais da apuração permitem especular sobre a eficácia da militância dos padres. É verdade que Fernando Haddad foi derrotado em algumas cidades onde havia a atuação direta dos "apóstolos" da Teologia da Libertação, como Barão de Cocais, Barbacena, Carandaí, Congonhas, Conselheiro Lafaiete. No entanto, o "office boy" de presidiário, representante da facção PT e do Foro de São Paulo venceu na maioria dos municípios abarcados pela Arquidiocese, inclusive na cidade de Mariana. Um fato que envergonha o católico da região que tem ciência da sua fé e que sabe o que prega a Santa Igreja. 

Estes são os dados: 

[FH] - Fernando Haddad.
[JB] - Jair Bolsonaro. 

. Abre-Campo.
- FH 54,81% - 3.954 votos.
- JB 45,19% - 3.260 votos.

- Acaiaca.
. FH 63,78% - 1.377 votos.
. JB 36,22% - 782 votos.

- Alfredo Vasconcelos.
. FH 50,43% - 1.955 votos.
. JB 49,57% - 1.922 votos.

- Alto Rio Doce.
. FH 68,59% - 4.166 votos.
. JB 31,41% - 1.908 votos.

- Amparo da Serra.
. FH 72,57% - 2.161 votos.
. JB 27,43% - 817 votos.

- Antônio Carlos.
. FH 56,53% - 3.626 votos.
. JB 43,47% - 2.788 votos.

- Araponga.
. FH 77,32% - 3.228 votos.
. JB 22,68% - 947 votos.

- Barão de Cocais.
. JB 54,25% - 8.352 votos.
. FH 45,75% - 7.043 votos.

- Barbacena.
. JB 52,33% - 35.585 votos.
. FH 47,67% - 32.411 votos.

- Barra Longa. 
. FH 68,13% - 2.272 votos.
. JB 31,87% - 1.063 votos.

- Brás Pires.
. FH 55,02% - 1.426 votos.
. JB 44,98% - 1.166 votos.

- Cajuri.
. FH 67,05% - 1.986 votos.
. JB 32,95% - 976 votos.

- Canaã.
. FH 70,89% - 2.099 votos.
. JB 29,11% - 862 votos.

- Capela Nova.
. FH 58,61% - 1.600 votos.
. JB 41,39% - 1.130 votos.

- Caranaíba.
. JB 51,37% - 1.015 votos.
. FH 48,63% - 961 votos.

- Carandaí.
. JB 52,90% - 7.191 votos.
. FH 47,10% - 6.402 votos.

- Catas Altas.
. JB 53,51% - 1.591 votos.
. FH 46,49% - 1.382 votos.

- Catas Altas da Noruega.
. FH 57,71% - 1.303 votos.
. JB 42,29% - 955 votos.

- Cipotânea.
. FH 57,73% - 1.725 votos.
. JB 42,27% - 1.263 votos.

- Coimbra.
. FH 53,96% - 2.310 votos.
. JB 46,04% - 1.971 votos.

- Congonhas.
. JB 58,87% - 16.554 votos.
. FH 41,13% - 11.565 votos.

- Conselheiro Lafaiete.
. JB 53,71% - 35.020 votos.
. FH 46,29% - 30.180 votos.

- Cristiano Otoni.
. JB 57,07% - 1.638 votos.
. FH 42,93% - 1.232 votos.

- Desterro do Melo.
. JB 50,67% - 1.142 votos.
. FH 49,33% - 1.112 votos.

- Diogo de Vasconcelos.
. FH 73,40% - 1.788 votos.
. JB 26,60% - 648 votos.

- Divinésia.
. FH 62,99% - 1.724 votos.
. JB 37,01% - 1.013 votos.

- Dom Silvério.
. FH 61,06% - 1.756 votos.
. JB 38,94% - 1.120 voto. 

- Dores do Turvo.
. FH 58,28% - 1.854 votos.
. JB 41,72% - 1.327 votos.

- Entre Rios de Minas.
. FH 50,56% - 4.108 votos.
. JB 49,44% - 4.017 votos.

- Ervália.
. FH 63,11% - 6.593 votos.
. JB 36,89% - 3.854 votos. 

- Guaraciaba. 
. FH 66,51% - 3.337 votos. 
. JB 33,49% - 1.680 votos.

- Ibertioga.
. FH 69,87% - 2.326 votos.
. JB 30,13% - 1.003 votos.

- Itabirito. 
. JB 59,81% - 16.365 votos.
. FH 40,19% - 10.996 votos.

- Itaverava.
. FH 57,62% - 2.126 votos.
. JB 42,38% - 1.564 votos.

- Jeceaba.
. JB 51,32% - 1.905 votos.
. FH 48,68% - 1.807 votos.

- Jequeri.
. FH 67,23% - 4.040 votos.
. JB 32,77% - 1.969 votos.

- Lamim.
. FH 66,17% - 1.473 votos.
. JB 33,83% - 753 votos.

- Mariana.
. FH 62,59% - 19.882 votos.
. JB 37,41% - 11.883 votos.

- Matipó.
. FH 54,08% - 5.295 votos.
. JB 45,92% - 4.496 votos.

- Mercês.
. FH 63,52% - 3.538 votos.
. JB 36,48% - 2.032 votos.

- Oliveira Fortes.
. FH 70,68% - 1.068 votos.
. JB 29,32% - 443 votos.

- Oratórios.
. FH 72,33% - 1.950 votos.
. JB 27,67% - 746 votos.

- Ouro Branco.
. JB 58,11% - 12.198 votos.
. FH 41,89% - 8.795 votos.

- Ouro Preto.
. FH 64,57% - 26.726 votos.
. JB 35,43% - 14.664 votos.

- Paiva.
. FH 61,29% - 673 votos.
. JB 38,71% - 425 votos.

- Paula Cândido.
. FH 66,26% - 3.330 votos.
. JB 33,74% - 1.696 votos.

- Pedra Bonita. 
. FH 54,17% - 2.084 votos.
. JB 45,83% - 1.763 votos.

- Pedra do Anta.
. FH 70,61% - 1.598 votos.
. JB 29,39% - 665 votos.

- Piedade de Ponte Nova.
. FH 66,21% - 1.583 votos.
. JB 33,79% - 808 votos.

- Piranga.
. FH 60,90% - 4.391 votos.
. JB 39,10% - 2.819 votos.

- Ponte Nova.
. FH 60,53% - 17.795 votos.
. JB 39,47% - 11.604 votos.

- Porto Firme.
. FH 61,29% - 3.479 votos.
. JB 38,71% - 2.197 votos.

- Presidente Bernardes.
. FH 64,73% - 2.101 votos.
. JB 35,27% - 1.145 votos.

- Queluzito.
. JB 53,93% - 878 votos.
. FH 46,07% - 750 votos.

- Raul Soares.
. FH 53,37% - 6.034 votos.
. JB 46,63% - 5.272 votos.

- Ressaquinha.
. FH 59,56% - 1.776 votos.
. JB 40,44% - 1.206 votos.

- Rio Casca.
. FH 59,31% - 3.964 votos.
. JB 40,69% - 2.720 votos.

- Rio Doce.
. FH 57,16% - 886 votos.
. JB 42,84% - 664 votos.

- Rio Espera.
. FH 57,78% - 1.905 votos.
. JB 42,22% - 1.392 votos.

- Rio Pomba.
. FH 51,67% - 4.899 votos.
. JB 48,33% - 4.583 votos.

- Santa Bárbara.
. FH 53,78% - 8.460 votos.
. JB 46,22% - 7.270 votos.

- Santa Bárbara do Tugúrio.
. FH 71,39% - 2.109 votos.
. JB 28,61% - 845 votos.

- Santa Cruz do Escalvado.
. FH 67,43% - 2.081 votos.
. JB 32,57% - 1.005 votos.

- Santa Margarida.
. FH 54,53% - 4.685 votos.
. JB 45,47% - 3.906 votos.

- Santana dos Montes.
. FH 52,99% - 1.257 votos.
. JB 47,01% - 1.115 votos.

- Santo Antônio do Grama.
. FH 65,08% - 1.603 votos.
. JB 34,92% - 860 votos.

- São Brás do Suaçuí.
. FH 50,53% - 1.047 votos.
. JB 49,47% - 1.025 votos.

- São Miguel do Anta.
. FH 65,52% - 2.670 votos.
. JB 34,48% - 1.405 votos.

- São Pedro dos Ferros.
. FH 63,87% - 2.505 votos.
. JB 36,13% - 1.417 votos.

- Sem-Peixe.
. FH 67,92% - 1.213 votos.
. JB 32,08% - 573 votos. 

- Senador Firmino.
. FH 59,91% - 2.591 votos.
. JB 40,09% - 1.734 votos. 

- Senhora de Oliveira.
. FH 67,01% - 2.356 votos.
. JB 32,99% - 1.160 votos.

- Senhora dos Remédios.
. FH 58,38% - 3.087 votos.
. JB 41,62% - 2.201 votos.

- Sericita.
. FH 56,90% - 2.598 votos.
. JB 43,10% - 1.968 votos.

- Silveirânia.
. FH 66,24% - 1.238 votos.
. JB 33,76% - 631 votos.

- Tabuleiro.
. FH 54,50% - 1.490 votos.
. JB 45,50% - 1.244 votos.

- Teixeiras.
. FH 57,30% - 3.789 votos.
. JB 42,70% - 2.824 votos.

- Urucânia.
. FH 58,87% - 3.186 votos.
. JB 41,13% - 2.226 votos.

- Viçosa.
. FH 58,97% - 22.851 votos.
. JB 41,03% - 15.900 votos.

XIV.

Nas eleições deste ano, a Arquidiocese de Mariana tornou-se um verdadeiro comitê eleitoral comunista. Cabos eleitorais de batina fizeram campanha sem a menor vergonha para o candidato do PT, "office boy" de presidiário - sendo agora o próprio Haddad réu por corrupção passiva e lavagem de dinheiro - e representante de um esquema de poder criminoso escandalosamente contrário à fé católica, aos princípios e orientações da Santa Igreja. Aborto - assassinato em massa de crianças inocentes -, ideologia de gênero LGBT-gayzista, legalização das drogas, controle da imprensa e do poder judiciário, adestramento ideológico e incitação da "luta de classes", da luta racial, etc., etc. [39]. O diabo, porém, não descansa, e a militância comunista não para. Veja a imagem.

O "padre do PT", o deputado federal João - que reelegeu-se no último pleito com uma campanha de caso policial [40] - esteve recentemente em Conselheiro Lafaiete, na companhia dos "padres" Paulo Edson, da Paróquia Nossa Senhora de Lourdes, de Lafaiete mesmo, e de Geraldo Barbosa, de Mariana. Os "apóstolos" da nefasta Teologia da Libertação "perseveram" na militância comunista, valendo-se do "Movimento Fé e Política" da Arquidiocese [41], e tramam, não só a promoção política através Campanha da Fraternidade 2019 - como é "tradição" -, mas já trabalham na identificação de "lideranças que abraçam um projeto social e coletivo para as eleições 2020" (cf. imagem).   

Os católicos permanecem expostos ao erro e ao engano, conduzidos ardilosamente a colaborarem com agentes e facções que distorcem a fé e parasitam a Santa Igreja, comprometidos apenas com um esquema criminoso de poder. A Arquidiocese de Mariana é território livre para o "apostolado" comunista. 


REFERÊNCIAS.

[1]. Cf. [http://bit.ly/2Ahqq9I]. 

[2]. Cf. "Do que um "apóstolo" da Teologia da Libertação é capaz..." [https://b-braga.blogspot.com/2016/04/do-que-um-apostolo-da-teologia-da.html].



[5]. Cf. "Laicato? A Arquidiocese de Mariana e a radicalização comuno-CNBBista contra os leigos e contra a Santa Igreja Católica", nota IV [https://b-braga.blogspot.com/2018/03/laicato-arquidiocese-de-mariana-e.html]. 


[7]. A imagem da lista é uma atualização dos nomes dos signatários. 


[9]. Cf. "João: a campanha eleitoral vigarista do 'padre do PT'", nota XII [https://b-braga.blogspot.com/2018/10/joao-campanha-eleitoral-vigarista-do.html].

[10]. Cf. [http://bit.ly/2yVNbyh].

[11]. Cf. [http://bit.ly/2PPjfeh].




[15]. Outras "notas" sobre o tal "manifesto em defesa da democracia": [http://bit.ly/2PTyKSo]. Atualização da lista: [http://bit.ly/2PVrfKZ].


[17]. Cf. [http://bit.ly/2Sajq5I].

[18]. Cf. [http://bit.ly/2PTyKSo].

[19]. Cf. Os que se interessarem pela história, podem ler a conversa aqui. Penso que a indicação é pertinente, pois diz muito sobre a postura dos padres neste momento eleitoral. Cf."Intereclesial SOCIALISTA-COMUNISTA - uma conversa com o padre" [https://b-braga.blogspot.com/2014/01/intereclesial-socialista-comunista-uma.html].

[20]. Cf. [http://bit.ly/2CHnLsl].


[22]. Cf. [http://bit.ly/2RVojzc].



[25]. Cf. "João: a campanha eleitoral vigarista do 'padre do PT'" [http://b-braga.blogspot.com/2018/10/joao-campanha-eleitoral-vigarista-do.html].

[26]. Cf. [http://bit.ly/2Ahqq9I].


[28]. Cf. [http://bit.ly/2PTyKSo]. Atualização da lista: [http://bit.ly/2PVrfKZ].

[29]. Cf. "João: a campanha eleitoral vigarista do 'padre do PT'" [https://b-braga.blogspot.com/2018/10/joao-campanha-eleitoral-vigarista-do.html].

[30]. Cf. [http://bit.ly/2CHnLsl].   


[32]. Cf. [http://bit.ly/2Sajq5I].

[33]. Cf. [http://bit.ly/2EAbO9W].

[34]. Cf. [http://bit.ly/2CHnLsl].

[35]. Cf. "Do que um "apóstolo" da Teologia da Libertação é capaz..." [https://b-braga.blogspot.com/2016/04/do-que-um-apostolo-da-teologia-da.html].

[36]. Cf. [http://bit.ly/2PTyKSo]. Atualização da lista: [http://bit.ly/2PVrfKZ].


[38]. Cf. [http://bit.ly/2PTyKSo]. Atualização da lista: [http://bit.ly/2PVrfKZ]; Correio de Minas [http://bit.ly/2PXFuih].

[39]. Cf. "Arquidiocese de Mariana vira comitê eleitoral comunista" [http://b-braga.blogspot.com/2018/10/arquidiocese-de-mariana-vira-comite.html].

[40]. Cf. "João: a campanha eleitoral vigarista do 'padre do PT'" [http://b-braga.blogspot.com/2018/10/joao-campanha-eleitoral-vigarista-do.html].

[41]. Cf. "Estarrecedor: Arquidiocese de Mariana fomenta militância comunista e eleitoral" [https://b-braga.blogspot.com/2018/03/estarrecedor-arquidiocese-de-mariana.html].